08 setembro, 2015

Resenha: Carnívora


“E quando o sangue, a morte e o terror são espalhados por uma força muito superior a dos traficantes ou policiais?”

Carnívora é um álbum de terror que conta a história de Carlos, um policial civil à procura de sua noiva desaparecida após um sequestro. Como única pista, um endereço: Morro da Caveira. O maior complexo de comunidades do Rio de Janeiro. Mas não apenas isso. Intrigantes relatos dos moradores chamam a atenção. Todos contam a mesma história: o topo do morro é assombrado por pequenas criaturas carnívoras, parecidas com crianças, que levam terror e morte às redondezas. É lá que a procura de Carlos começa e ele vai encontrar o que menos espera. Mas não só sustos e sanguinolência que compõe Carnívora. A história faz refletir sobre o preço de nossas escolhas, o que pode trazer a tona os verdadeiros monstros.




Surtados, queridos:
Como estão vocês?

Antes que me perguntem, já digo que vou muito bem! Melhor agora após ler essa HQ e ter minhas dúvidas tiradas pelo próprio autor. 


É isso mesmo! Não sou profunda conhecedora de HQs, seus traços e diálogos e tive algumas dúvidas. A Avec me colocou em contato com o autor que tirou minhas dúvidas e me fez ver ainda mais beleza onde a grata surpresa já havia sido presente!

Vou começar com a história em si e depois conto minhas dúvidas e as respostas do autor, ok?

A HQ já começa em plena ação no Complexo da Caveira, com perseguição policial. 

O que seria pior? Ter a polícia em seu encalço e ficar às margens do morro ou ir até o topo e verificar se a lenda que ronda o local é verdadeira? Todos dizem que o topo do morro é assombrado e quem vai, não volta. 

É claro que fiquei curiosa demais em saber o que rolava ali e Pericles Junior, segurou muito bem esse suspense.

O policial Carlos teve sua noiva sequestrada e vai até o topo do morro, se precisar, para encontrá-la.

Carlos tem uma presença fortíssima! Em todos os sentidos. (do tipo que pegaríamos! Não... melhor eu não escrever isso!)

Forte também é a presença de Jéssica, a delegada adjunta, recém chegada no local e já se deparando com uma missão dessa que deve liderar e, talvez por ser mulher ou novata, não é muito levada a sério... A construção do personagem dela é linda. Começa levando uma "comida" da chefe por não ter se imposto como devia e depois mostra a que veio. 
Impossível não gostar de Jéssica!

Outra presença marcante, é a do ser religioso que perdeu os filhos num confronto de bandido e polícia. Eles morreram de bala perdida! É ele que explica todo o mistério que ronda o local para minha policial favorita: Jéssica.

Pericles também intercala passado e presente: Passado, quando Carlos conheceu e se apaixonou por sua noiva, na praia e presente, com a realidade de que ela foi sequestrada (por vingança?) e que talvez jamais volte a revê-la.

Tudo não é exatamente como parece. Há muitas surpresas e mistérios desvendados ao longo da HQ.

A outra maneira de ler a história é através das ilustrações de Pericles. Cara.... isso ele faz bem demais! As expressões faciais e corporais são de tirar o fôlego. O sombreamento, a perspectiva e a noção de movimento são lindos de ver. Tem toque de mestre ali.

Os diálogos são verossímeis. é a linguagem do morro, a linguagem policial. É cru! É denso! 

Ainda falando dos diálogos, o que me chamou demais a atenção foi a inteligência da criação. A rapidez de raciocínio. A Sociologia ali contida, explícita em palavras e comportamentos, mas "escondida" através do entretenimento.

Ilustrando o que disse:




As dúvidas que tive e as respostas de Pericles, a quem agradeço mais uma vez e reitero: tornei-me fã!

Telma: O primeiro assassinato que acontece no livro, no topo do morro da caveira, acontece de noite, mas quando viramos a página e vemos o grito do cara que foi atacado, há nuvens brancas no céu e não parece ser noite, como mostrado anteriormente. Mesmo a luz da lua não deixaria o céu tão claro. Estou errada?


Péricles: A primeira parte seria pra dar um clima mesmo... as "nuvens" funcionam ali como neblina... tipo os bgs das primeiras versões do Scooby Doo... adoro esse clima e como é preto e branco tenho que ter cuidados pra mostrar o que quero, como o que aconteceu na cena seguinte.. já dei a informação que é noite e agora quero mostrar a cena.


Telma: Quando a sub delegada está tendo uma conversa com sua amiga e diz que está sozinha, que chegou em casa mas já já tem que sair de novo para trabalhar. No último quadrinho ela diz:"É lindinho, por que pegam tanto no meu pé?" Há uma mão no braço dela. É uma sugestão de que ela não está sozinha? Quem está com ela (não encontrei isso mais a frente).

Pericles:
Ali seria ela segurando a própria perna. É porque ambos, braço e perna, estão na mesma direção... por isso deve ter confundido.


Telma:
 Amei a expressividade dos seus traços. Amei sua capacidade de colocar em evidência o que deseja. Amei sua noção de sombramento e proporções, amei a "sujeira" em alguns dos quadros...mas achei tudo um pouco claro para uma HQ de terror. A claridade foi intencional?

Pericles: A claridade foi intencional. Gosto de contar histórias frisando expressões corporais e faciais. Como disse anteriormente, dou a informação de que a cena é de dia ou noite e depois mostro a cena pro leitor "ler" os desenhos também... fora que acho algumas HQs de terror escuras demais. E no caso de Carnívora, temos mais elementos do que o terror propriamente dito.


Telma: É isso, vou fazer a resenha e queria tirar essas dúvidas antes. Queria saber o que se passou na sua cabecinha (além daquele maravilhoso trabalho de passo a passo da produção no final do livro).

Pericles: Novamente obrigado mesmo e qualquer coisa é só chamar.

Ao final, temos um maravilhoso passo-a-passo da produção das páginas e design dos personagens? 

É pouco ou quer mais? 



A capa é um show a parte!

A AVEC realmente capricha em toda a edição!

Se recomendo? Cara, corre e pega o seu! (se for maior de 16, tá?)







Clique aqui e adquira seu exemplar:

PS.: Possíveis erros gramaticais e/ou ortográficos serão corrigidos por mim posteriormente, a resenha tá fresquinha, fresquinha!...rs*



Autor: Péricles Junior
ISBN: 978-85-67901-24-4
Editora: AVEC
Editora Formato: 17,5cm X26,5cm
Tipo de capa: 4/1 cartão triplex 300
Papel: Off set 90g 
Miolo: Preto e branco
Quantidade de páginas: 120

20 comentários:

  1. Que trabalho incrível! Parabéns ao autor e pela resenha fantástica, Telma! Faço questão de conhecer mais sobre o trabalho do Péricles.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Carlos, tenho certeza de que, como eu, você ficaria agradavelmente surpreso!!!
      beijocas
      :)

      Excluir
  2. Temática muito propícia a nossa realidade brasileira infelizmente. Amei a resenha vc conseguiu cobrir todos os detalhes do quadrinho. Tô curiosa viu. Hug gatona 😁

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quinta feira eu te mostro o quadrinho, Marcinha.
      Que tal fazermos uma entrevista com o autor, juntas?
      beijos muitos
      :)

      Excluir
    2. Acho uma excelente idéia Telma.
      Hug

      Excluir
  3. Telma!
    Os HQs vem tomando o espaço literário e se possuem um enredo crível e ilustrações bem desenhadas, não tem como não conquistar.
    O melhor de tudo é ter o orgulho de ser escrito/ilustrado por brasileiros, fico até arrepiada.
    Bem curiosa fiquei, principalmente porque falou em sociologia, o que mostra bem a nossa realidade nos morros.
    “O passado não reconhece o seu lugar: está sempre presente...”(Mario Quintana)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participem do nosso Top Comentarista, serão 3 ganhadores!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É lindo esse crescimento e, ainda por cima quando se trata dos nossos brasileiros, não é Rudy?
      Você iria amar essa HQ.
      beijos
      ;)

      Excluir
  4. Uau, Telma... Que resenha!
    Sabe, amiga, eu não curto muito terror. Para mim, já bastam as notícias vindas do Planalto. Mas, confesso que você sempre me deixa curiosa, mesmo quando imagino a Receita Federal tão voraz quanto a "sujeita"! ;)
    Parabéns amiga, você é top!
    Bjks

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu te entendo perfeitamente, Su... depois de algo assim eu sempre leio um romance açucarado! rs*
      Muito obrigada por esse carinho todo. Você é Über (top das tops) :D
      beijos muitos

      Excluir
  5. Achei o tema muito interessante e com certeza se espelha em nossa realidade... Curti muito sua foto com o livro! bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Beijos, Naty!
      Acredito que vc iria gostar dessa HQ.
      :)

      Excluir
  6. Adoro HQs e essa parece ser incrivel. Os desenhos são muito legais e os traços bem reais e a história parece ser muito booom!

    Www.cidadedosleitores.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. AMEI sua resenha! É incrível como, resenha após resenha, tenhamos opiniões cada vez mais parecidas. Amei o traço do Péricles bem como, através de diálogos rápidos e fortes, ele conseguiu construir uma trama profunda e sólida.

    Já estou fazendo o Upload da minha resenha, posso ter a honra de sua presença mais tarde no Canal (ainda mais que a senhora foi citada no vídeo - aviso, desde já).

    <3

    Beijos..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. rs*
      Bom ver você por aqui!
      Com prazer ouvirei sua resenha!
      beijocas
      :)

      Excluir
  8. Telma o que mais me chamou atenção foram as ilustrações, simplesmente amei! Marcantes, e o traçado forte. A tonalidade diversa apesar de ser a mesma cor, realmente é bem marcante.

    ResponderExcluir
  9. Oi! Parece ser uma boa história, mas ao mesmo tempo ela não me cativou. Achei interessante esse mistério que tem sobre o morro e essas criaturas que não se sabe que existe mesmo, mas parece que isso fica até um pouco no segundo plano. Achei interessante as ilustrações e também pela trama passar aqui no Brasil.

    ResponderExcluir
  10. Telma, vi outra resenha em outro blog e me apaixonei pelo livro. Sua resenha, mais detalhada, me impressionou bastante já que não conhecia a estória a fundo e não sabia, também, que se passava no Rio de Janeiro. Me encantei ainda mais pela estória, repleta de belíssimas ilustrações.

    ResponderExcluir
  11. O autor foi muito inteligente em misturar realidade com ficção, retratando o que vemos em noticiários todos os dias e ainda usando doses de suspense e terror.
    Tinha uma certa impressão de que fosse mais sobre vingança estilo O Justiceiro e fiquei feliz de estar equivocado, pela sua descrição dos personagens já deu para ter uma ideia do que cada um é capaz e entender um pouco de sua personalidade.
    Os traços são muito bem feitos, fiquei impressionado, um ótimo trabalho, a capa ficou atrativa e diferente, sua foto também ficou muito boa, parabéns!
    Por fim, acho que uma hq tão boa tinha que ter mais páginas, me parece pouco, deixando aquela sensação de quero mais. rs

    ResponderExcluir
:) :( ;) :D :-/ :P :-O X( :7 B-) :-S :(( :)) :| :-B ~X( L-) (:| =D7 @-) :-w 7:P \m/ :-q :-bd

Vai ser muito bom saber o que você achou dessa postagem!
Opine!