22 julho, 2017

É para lá que eu vou





Mais uma viagem textual de Clarice, neste micro conto. Então mais uma vez,  irei usar meu conhecimento de outras outras da autora para tentar lançar alguma luz sobre este conto.



Me parece que o conto fala sobre duas coisas – a realidade e sobre as nossas interpretações pessoais sobre o mundo.



Aqui a autora nos mostra que a vida e todas os seus desdobramentos , estão sobre nosso domínio interpretativo e que a morte, esta sim, será nossa única realidade. O resto se trata apenas de nossa tentativa de buscar o significado das coisas através da palavra.





Na ponta da palavra está a palavra. Quero usar a palavra “tertúlia” e não sei aonde e quando. À beira da tertúlia está a família. À beira da família estou eu. À beira de eu estou mim. É para mim que vou. E de mim saio para ver. Ver o quê? ver o que existe. Depois de morta é para a realidade que vou. Por enquanto é sonho. Sonho fatídico. Mas depois – depois tudo é real. E a alma livre procura um canto para se acomodar. Mim é um eu que anuncio. Não sei sobre o que estou falando. Estou falando do nada. Eu sou nada. Depois de morta engrandecerei e me espalharei, e alguém dirá com amor meu nome



No livro Água Viva, Clarice nos mostra estas tentativas de capturar o que está por trás da palavra. Entendo que a palavra é um signo que não se basta, sendo ela apenas um meio imperfeito de nos comunicarmos.



As palavras são cópias baratas de uma realidade muito mais abrangente e grandiosa.



Citação do livro Água Viva



Sim, quero a palavra última que também é tão primeira que já se confunde com a parte intangível do real. ainda tenho medo de me afastar da lógica porque caio no instintivo e no direto, e no futuro: a invenção do hoje é o meu único meio de instaurar o futuro. Desde já é futuro, e qualquer hora é hora marcada. Que mal porém tem eu me afastar da lógica? Estou lidando com a matéria-prima. Estou atrás do que fica atrás do pensamento



Leiam as impressões da Silvia em Reflexões de Silvia.










Clarice Lispector - Todos os Contos
       Editora Rocco - Capa Dura - 656 Pgs
        Organizado por Benjamin Moser

                   
                   Marcia Cogitare



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Vai ser muito bom saber o que você achou dessa postagem!
Opine!