12 maio, 2017

O Adulto




Uma jovem ganha a vida praticando pequenas fraudes. Seu principal talento é a capacidade de dizer às pessoas exatamente o que elas querem ouvir, e sua mais recente ocupação consiste em se passar por vidente, oferecendo o serviço de leitura de aura para donas de casa ricas e tristes.

Certo dia, ela atende Susan Burkes, que se mudou há pouco tempo para a cidade com o marido, o filho pequeno e o enteado adolescente. Experiente observadora do comportamento humano, a falsa sensitiva logo enxerga em Susan uma mulher desesperada por injetar um pouco de emoção em sua vida monótona e planeja tirar vantagem da situação.
No entanto, quando visita a impressionante mansão dos Burke, que Susan acredita ser a causa de seus problemas, e se depara com acontecimentos aterrorizantes, a jovem se convence de que há algo tenebroso à espreita. Agora, ela precisa descobrir onde o mal se esconde, e como escapar dele. Se é que há alguma chance
Em seu estilo inconfundível que arrebatou milhares de fãs, Gillian Flynn traça surpreendentes e intrigantes perfis psicológicos dos personagens e tece uma narrativa repleta de suspense ao mesmo tempo em que brinca com elementos clássicos do sobrenatural. 



Gillian Flynn
Intrínseca
64 Pgs




Este livro foi uma indicação de uma amiga do clube de leitura que frequento, a Michelle (valeu Mi).


Irei falar rapidamente dele por aqui, até porque nãodá para me aprofundar sem estragar a narrativa desse pequenino livro, na verdade ele é um conto encomendado por ninguém menos que o senhor George R.R. Martin, o escritor da série de livros - As Crônicas de Gelo e fogo e que acabou sendo adaptada para a série Game of Thrones da HBO.


Começamos a narrativa com as lembranças de sua infância mendicante e como ela na vida adulta se emprega numa “empresa” de serviços sexuais e nesta mesma empresa, se torna uma espécie de cartomante que vê auras das pessoas. 



 Fui criada na cidade por uma mãe caolha (a frase de abertura das minhas memórias), e ela não era uma senhora legal. Não tinha problemas com drogas nem com bebida, mas tinha problemas com trabalho. Era a pessoa mais preguiçosa que já conheci. Duas vezes por semana íamos para as ruas do centro da cidade pedir esmolas. Mas como minha mãe odiava ficar de pé, fazia tudo aquilo de forma estratégica. Conseguir o máximo de dinheiro no menor tempo possível, depois ir para casa, comer bolo mesclado de chocolate com baunilha e assistir a reality shows de tribunal na TV, sentadas em meio às manchas de nosso colchão detonado. (É a principal lembrança que tenho da infância: manchas. Não sei dizer a cor dos olhos da minha mãe, mas sei que a mancha no tapete felpudo era marrom-escura como sopa, que as manchas no teto eram de um laranja queimado e as na parede, de um vibrante amarelo-mijo de ressaca.)




Uma narrativa que mistura um pouco das temáticas de Stephen King com o estilo de escrita de Chuck Palanhiuk.


Para refrescar sua memória, a autora escreveu os livros Garota Exemplar que também virou filme. Acredito que este seja o mais conhecido da galera, mas tem ainda os livros - Objetos Cortantes e Lugares Escuros. 





               Marcia Cogitare






2 comentários:

  1. Marcinha do céu... não faça isso comigo!
    Eu amei "Garota Exemplar" e fiquei doida pra ler esse depois da sua resenha que faz menção à temática de Stephen Rei!!!
    Amei, gata!
    beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Telma, tenho certeza que vOcê irá gostar deste conto.

      Hug lindona :D

      Excluir
:) :( ;) :D :-/ :P :-O X( :7 B-) :-S :(( :)) :| :-B ~X( L-) (:| =D7 @-) :-w 7:P \m/ :-q :-bd

Vai ser muito bom saber o que você achou dessa postagem!
Opine!