18 novembro, 2015

Caçadora de Unicórnios

Esqueça a lenda. Unicórnios não são fofinhos. Nem alados. Muito pelo contrário: são cruéis, carnívoros e venenosos. É o que Astrid cansou de ouvir de sua, digamos, "um pouco obcecada" mãe. Ao que parece, as duas fazem parte de uma longa linhagem de caçadoras de unicórnios, descendentes de Alexandre, o Grande. Ah, e o Bucéfalo? O famoso cavalo do mais temido conquistador da história? Sim, você adivinhou... Unicórnio. Claro que Astrid costumava zombar dessas excêntricas histórias - até que o namorado foi atacado por um... pônei com chifre? E salvo do estranho veneno por uma droga milenar, um remédio mítico feito à base de unicórnios e guardado com zelo insano pela mãe de Astrid. Por isso, agora ela está indo para um claustro em Roma. Um antigo centro de treinamento para caçadoras. No entanto, na antiga Ordem da Leoa, nem tudo é o que parece. Fora de seus muros, os unicórnios esperam para atacar. E dentro, Astrid enfrenta outras ameaças inesperadas: paredes cobertas de troféus de caça vibram com um poder terrível, as outras caçadoras, e até mesmo seus patrocinadores sugerem intenções escusas; mas o mais perigoso talvez seja a atração crescente por um estudante de arte... uma atração que pode pôr tudo a perder..
                                                                                                         


Um fato sobre unicórnios: eles são mortais. Imagine se deparar com verdadeiros monstros, com afiados e venenosos alicórnios (o tal do chifre), sede de sangue e uma fome insaciável por todo tipo de carne (sim, incluindo a humana).

Astrid não acredita neles. Aliás, ela os odeia. De tanto sua mãe, Lilith, falar sobre os tais sanguinários unicórnios ela realmente não consegue os enxergar como as pessoas os veem: purpurinados, com chifres reluzentes, caminhando sobre arco-íris e deixando um rastro de luz por onde quer que passem. E apesar de não acreditar nas terríveis e absurdas histórias da mãe sobre os nadas fofos unicórnios, pelo menos eles estão extintos há muito tempo. É o que parece, até que relatos de desaparecimentos e mortes surgem, e Astrid se vê obrigada a, repentinamente, abandonar tudo (escola, amigos e um namoro mal sucedido) para ir até Roma e lá se tornar uma Caçadora de Unicórnios.
As caçadoras são descendentes do famoso Alexandre, o Grande, rei da Macedônia. E você se lembra ou já ouviu falar de seu inseparável cavalo de guerra? Pois foi montado em Bucéfalo que Alexandre construiu um dos maiores impérios da história. E aí vem a bomba: Bucéfalo era um unicórnio. Aliás, mais precisamente, um Karkadann. Há cinco espécies deles: zhi, kirin, re'em, einhorn e karkadann.

Apesar do começo ser um tanto lento, a história se desenrola de uma forma que me prendeu. Achei sinceramente que não iria gostar do livro, mas no fim acabei adorando! Gostei bastante do modo como Diana introduziu o tema e personagens, e o modo como conduziu a trama. O livro está cheio de referências históricas e mitológicas que misturam ficção e realidade de uma forma muito bem elaborada, criando o clima certo para o livro.

Sempre fui fascinada pelas lendas e histórias envolvendo unicórnios, e tirando alguns contos ou filmes, nunca havia lido nenhum livro com o tema. Sempre os imaginei como seres bondosos e cheios de luz, que trazem mensagens de sabedoria ou que "iluminam" o caminho para a mocinha achar seu verdadeiro destino e blá blá blá. Mas nunca os havia visto ou imaginado assim como Diana Peterfreund nos apresenta em seu livro, Caçadora de Unicórnios. E confesso: adorei o resultado. Em sua história, narrada por Astrid, a autora utiliza de diversos pontos para tornar sua trama muito interessante. E o fato de os unicórnios serem verdadeiros monstros, sedentos por sangue dá um toque bem bacana à trama.

A narrativa é bem gostosa, e no fim das contas me fisgou. Um dos pontos que mais gostei, foram as cenas de batalha. As caçadoras enfrentando os unicórnios, em diversas passagens do livro, foi muito show. E foi justamente este ponto que me fez decididamente gostar do livro. A autora não poupa imaginação na ação! É sangue para todo lado, mortes e muitos feridos. Além disso há romance e mistério na dose certa!

Enfim, de forma geral, gostei bastante do livro! Com boas cenas de luta (que não tem economia de sangue) e uma história bem desenvolvida, Caçadora de Unicórnios é uma ótima pedida para quem gosta de livros de aventura e fantasia moderna







18 comentários:

  1. Caramba, parece ser realmente um bom livro esse negocio de alterar o modo como são vistos os unicornios mexer com lendas antigas isso nos faz querer nos aventuramos mais a ler hehe

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E é um bom livro! heheheh ... Principalmente se vc quer sair daquele universo colorido e meigo q imaginamos quando pensamos em unicórnios ... Acho q vc vai gostar Tiago :)

      Excluir
  2. Unicórnios a serem enfrentados, cenas bem descritas de batalhas... realmente parece bem o estilo de livro que te encanta, Isa!!!!

    Fiquei curiosa com essa perspectiva diferente de unicórnios.

    Amei sua resenha.

    beijos :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Siiimmm Telma, me encanta e encantou muito, totalmente diferente de tudo que já li sobre seres mágicos e alados heheheheh!

      Excluir
  3. Nossa, eu sempre imaginei unicórnios como animais fofos e lindos, mas não mortais, esse livro é para mudar a visão dos unicórnios, achei muito boa sua resenha, e pretendo ler esse livro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mariele, com ctz não irá se arrepender! Depois que li esse livro, confesso que fiquei curiosa e fui pesquisar mais sobre as lendas de unicórnios, e cada vez que lia alguma coisa começava a lembrar do livro e ficava pensando na autora sabe, em como ela chegou aquelas idéias e batalhas ... Vale a pena a leitura heim ;)

      Excluir
  4. Adoro mitologia mas sempre acreditei que os unicórnios fossem fofos... q decepção...

    Mas fiquei intrigada com uma coisa: pq a Astrid é escolhida para ser a caçadora? Qual a sua origem? Ela tem um lado semideus?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Heheheheh ... Será q dou um Spoiler por aqui? Vou tentar relatar sem contar muita coisa ... Lilith (mãe de Astrid) passou a vida toda dizendo lendas sobre unicórnios, e sempre dizia que sua filha poderia ser escolhida (para vc ser uma caçadora de unicórnios o fator principal é a virgindade) já o resto não posso contar ... Astrid se surpreende com o “chamado” de caçadora após um ataque no jardim dos padrões onde trabalha como babá. ... Não posso falar mais pq se não perde a graçaa

      Excluir
  5. Isa que livro mais surreal rs
    Fiquei curiosa com os unicórnios e as caçadoras badass
    Hug

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marciaa, muitoo doido esse livro, to apaixonada!

      Excluir
  6. Eu nunca li nenhum livro com unicórnios como protagonistas, menos ainda como vilões. Eles sempre são citados nas tramas vagamente, mas até nos livros eles são raros...então claro estou curiosa para ler esse livro e ver a versão vilã dos fatos rs!

    Miquilis

    ResponderExcluir
  7. aiiii Isa, fiquei triste por saber que os unicórnios não são pôneis fofinhos e brilhantes com um chifre na testa :'( kkkkk
    E acho que eu nunca teria imaginado que alguém poderia escrever um livro em que eles fossem malvados kkkkk
    Mas, pela sua resenha, deu pra perceber que o livro é bem interessante, e confesso que gosto muito desses livros que misturam fantasia com combate..
    Gostei!!!

    beeeijos!!

    ResponderExcluir
  8. Adorei a resenha e fiquei com muita vontade de ler o livro... Também acho os unicórnios lindos e bondosos e deve ser interessante vê-los sob uma outra ótica. Já está na minha lista de próximas aquisições...

    Bjinhos

    ResponderExcluir
  9. Gente taí um tema que eu dava nada... rsrs Sei lá, o mais perto que eu já curti unicórnios foi no clássico A Lenda. Mas assim é o mundo da literatura, sempre tem um surtado que nos surpreende! :P Admito que me interessei demais pela resenha, mas ainda assim vou demorar um pouco para desmitificar a "imagem" que tenho dos unicórnios! Parabéns pela resenha Isa!!! <3

    ResponderExcluir
  10. Ual p mim eles sao fofinhos kkkkk curti a ideia da trama parece muito.legal
    Nunca vi nada assim unicornios do mal

    http://estilodenerd42.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  11. Confesso que no começo da sinopse achei meio bizarro ,pq ,sinceramente tmb sempre imaginei unicórnios como sere bons e não como os vilões de uma história .Conforme li sua resenha percebi que apesar de ser meio estranho no começo o livro parece muito bom. Fiquei até com vontade de ler.

    ResponderExcluir
  12. Oi!
    Faz um tempo que falo que irei ler esse livro mas acabo nunca o pegando para ler a historia me interessou gostei de como a autora pegou um tema tão conhecido e deu uma nova cara e gosto muito das referencias a mitologia e a resenha me convenceu a realmente ler !!

    ResponderExcluir
  13. Isamara ...Isso de mudar a forma como imaginamos os unicórnios parece interessante ... sua resenha me deixou com vontade de ler o livro... Mesmo não parecendo ser meu estilo... parabéns!!

    ResponderExcluir
:) :( ;) :D :-/ :P :-O X( :7 B-) :-S :(( :)) :| :-B ~X( L-) (:| =D7 @-) :-w 7:P \m/ :-q :-bd

Vai ser muito bom saber o que você achou dessa postagem!
Opine!