19 julho, 2015

Resenha: Joyland


Carolina do Norte, 1973. O universitário Devin Jones começa um trabalho temporário no parque Joyland, esperando esquecer a namorada que partiu seu coração. Mas é outra garota que acaba mudando seu mundo para sempre: a vítima de um serial killer.

Linda Grey foi morta no parque há anos, e diz a lenda que seu espírito ainda assombra o trem fantasma. Não demora para que Devin embarque em sua própria investigação, tentando juntar as pontas soltas do caso. O assassino ainda está à solta, mas o espírito de Linda precisa ser libertado — e para isso Dev conta com a ajuda de Mike, um menino com um dom especial e uma doença séria.  

O destino de uma criança e a realidade sombria da vida vêm à tona neste eletrizante mistério sobre amar e perder, sobre crescer e envelhecer — e sobre aqueles que sequer tiveram a chance de passar por essas experiências porque a morte lhes chegou cedo demais.




“Uma das histórias mais bem escritas de King... Profunda, divertida, cheia de reviravoltas, despretensiosa e, por fim, arrasadoramente triste.” — Entertainment Weekly

“Intenso e cativante... A narrativa promissora e a montanha-russa emocional na vida de um jovem rapaz fazem de Joyland um prêmio que vale todas as suas fichas.” — USA Today

Minhas impressões:


Frase curta que defina o livro: "sui generis, em se tratando de SK"

Começo dizendo que esse livro é ambientando na década de 70, quando ir a parque de diversões estava em alta. Toda cidade pequena tinha um parque de diversões itinerante e a pequena cidade chamada Heaven's Bay (Heaven é Paraíso), não era diferente, todo verão recebia o parque chamado Joyland, grande e cheio de atrações!

Como todo parque que se preze, Joyland tinha um trem fantasma (que o povo local dizia ser assombrado) e esse trem fantasma foi o palco de um terrível assassinato anos atrás, onde a vítima, Linda Gray, foi morta e seu assassino saiu impune.

Os trabalhadores do parque tinham seu próprio vocabulário e o parque em si tinha suas particularidades, dentre elas as "garotas de Hollywood", cuja função era tirar fotografia do pessoal do parque e vendê-las. Essas garotas usavam vestidos verdes curtinhos, salto alto e chapeuzinhos. Eram bonitas e carregavam uma máquina fotográfica na mão (exatamente como na capa). Por isso acho que a capa da Suma faz mais sentido do que a versão da editora Titan Books, em capa dura (muito embora eu tenha adorado essa também!):


Essa edição é ilustrada e capa dura. Veja abaixo um mapa de Joyland pra entrar no clima do parque de diversões:

Ilustração de Susan Hunt Yule (clique aqui para ver o site)

A escrita de King está tão diferente nesse livro que não fosse o seu constante "dry/dark humor" eu talvez não tivesse ligado conteúdo à pessoa (mas teria me apaixonado da mesma maneira).

Quando meu sobrinho perguntou o que achei de  tão diferente nesse King, pensei a respeito e cheguei à conclusão de que a abordagem é diferente. King sempre descreve (repetidamente, detalhamente, prolixamente) paisagens e ambientação. Dessa vez ele ambienta a alma dos personagens, em especial a de Devin Jones (um personagem fofo - consegue imaginar King criando um homem romântico?). O livro é escrito em primeira pessoa e essa pessoa é Devin Jones.

Veja esses dois trechos, iniciais do livro, que já fizeram com que eu me apaixonasse por ele de vez e a primeira vista:

As pessoas pensam que o primeiro amor é fofo e fica ainda mais fofo depois que passa. Você já deve ter ouvido mil músicas pop e country que comprovam isso; sempre tem algum tolo de coração partido. No entanto, essa primeira mágoa é sempre a mais dolorosa, a que demora mais para cicatrizar e a que deixa a cicatriz mais visível. O que há de fofo nisso?
Eu era um virgem de vinte e um anos com aspirações literárias. Tinha três calças jeans, quatro cuecas, um Ford Velho (com um rádio bom), pensamentos suicidas eventuais e um coração partido. Que fofo hein? 
O livro é cheio de frases e pensamentos com os quais nos identificamos. Alguns deles me assustaram pela precisão e pela honestidade. Alguns deles são pensamentos que não ousamos sequer admitir que já tivemos, mas já tivemos.

Veja um exemplo e me diga "quem nunca?"...rs*

Poderíamos discutir sobre qual é o verso mais macabro da música pop, mas, para mim é um do início da carreira dos Beatles; John Lennon canta "Prefiro ver você morta, menina, a ver você com outro homem". Eu poderia dizer que nunca pensei isso de Wendy, depois do rompimento, mas seria mentira.. Não era constante, mas eu pensei nela com certa crueldade depois que terminamos? Sim. Houve noites longas e insones que pensei que ela merecia que algo ruim, talvez bem ruim, acontecesse, pela forma como me magoou. Eu ficava amargurado por pensar assim, mas às vezes, pensava.

É ou não é crível? É ou não é tirado do fundo da alma de alguém da vida real?

Outro pensamento bacana de Devin:

Quando se tem vinte e um anos, a vida é um mapa rodoviário. Só quando se chega aos vinte e cinco, mais ou menos, é que se começa a desconfiar que estávamos olhando o mapa de cabeça pra baixo, e apenas aos quarenta anos temos certeza absoluta disso. Quando se chega aos sessenta, vai por mim, já se está completamente perdido.

É fofo/coerente ou não é?

Eu não gostaria de me empolgar demais em minha explanação da história para não dar spoilers (odeio), mas vamos dizer que a mediunidade de um garotinho que vivia numa cadeira de rodas me fez lembrar de "O Iluminado" (o primeiro King a gente nunca esquece). A sensibilidade com que Devin usa para romper a barreira emocional que a mãe desse garotinho ergue, entre ela e o restante do mundo (por conta de sofrimentos anteriores), me fez pensar que King tem o toque de Midas em qualquer gênero que se proponha a fazer. A sensibilidade desse livro me acertou o peito feito flecha atirada por cupido.

Chorei no final. Talvez seja TPM... mas, o final é lindinho demais.

Talvez eu tenha chorado de saudades de alguns personagens (Erin Cook, Mike, a sra. Shoplaw, o parque e claro: Devin!)

O único aspecto que achei que faltou no livro é que havia muito espaço para trabalhar ainda mais o lado sobrenatural do que foi trabalhado (e sou uma apaixonada por esse gênero de história, vocês sabem)... mas também fui capaz de perceber que nesse livro, King quis enfatizar a amizade, a solidariedade e o amor (mas eu amaria um tiquinho de terror).

De resto, o livro é maravilhoso! Se você é fã de King (e mesmo que não seja... já que é um livro diferente), você precisa ler Joyland e desvendar, junto com Devin o mistério da garota morta no trem fantasma e descobrir quem a matou.
A amizade, como já disse, é o ponto alto desse livro e o velho King sendo sentimental, roubou ainda mais meu coração (eu sei, eu sei... tô sendo redundante)... parei!

Não espere uma história de terror de arrepiar os cabelos... espere mais por honestidade de escrita e sensibilidade.

Deixo você com o trecho disponibilizado pela Suma do início do livro. A paixão já nasce nos primeiros parágrafos... ;)

E termino dizendo que esse livro será adaptado para o cinema, com previsão para Novembro desse ano.

beijos muitos... e surtados!

Ah! Se tiver erros gramaticais/ortográficos, corrigirei num futuro próximo, ok?







33 comentários:

  1. Telminha, linda resenha (não procurei, mas também não achei erros, fique tranquila)!

    O que dizer de King?! Difícil, né?! Eu tenho pra mim que eu lerei todos os livros dele ainda, mas não posso me empolgar e ler tudo de uma só vez, tenho que ler outros grandes e bons autores, claro. Se eu não morrer antes, terei lido todos um dia!!!!

    Mas é fato, King é foda, em quase tudo! rs O enredo do livro já me prendeu, sua visão do livro me arrebatou. Terei que ler esse antes de muitos outros. Sabia que iria gostar só por ser King, mas gostei ainda mais pela sua indicação!

    Love U for eternity! Beijão

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pedro, meu queridão...
      É uma delícia ver um comment seu aqui no blog.
      Acredito que vá amar esse King e se identificar com muitas coisas, como aconteceu comigo.
      Ele é rápido de ler (ao contrário da maioria dos Kings)
      Love u 4 eternity, 2
      Beijão :D

      Excluir
  2. shooooooow de resenha , sempre com bons conteúdos, e de fácil entendimento ... parabéns a equipe toda do blog *----*

    ResponderExcluir
  3. Ótima resenha! Estou louca para ler, King é demais!

    ResponderExcluir
  4. Tenho vergonha em dizer mas nunca li King, td que conheço dele é através das telinhas =P e gosto, então já devia ter lido algo não?! Quem sabe não seja Joyland?

    Miquilis

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bruna....
      creio que este aqui você iria gostar muito.
      beijocas

      Excluir
  5. Meu Deus estava ansiosa por uma resenha desse livro feita pelo pessoal do Brasil, ainda não havia nenhuma, a sua foi a primeira.

    ResponderExcluir
  6. Bianca Brocco
    https://www.facebook.com/bianca.brocco.1

    ResponderExcluir
  7. Serei objetivo!

    Amei o Livro. Amei a resenha. Amo o Autor do Livro. Amo a Autora da resenha.

    Pode isso!?

    =p

    Então.. Surpresa do ano! Amei cada pedacinho de "Joyland". Amo quando o Sr. King escreve sobre a década de 70. Sinto-me, simplesmente, vivendo à época, sabe? Isso me cativou a ler mais e mais Stephen King (há mais de dez anos).

    =)

    E vou além: Há tempos que eu não ficava deprê após a leitura de uma obra. Poxa, como é ruim se apegar a determinados personagens e eles desaparecerem da sua vida após a última página lida!

    =/

    ResponderExcluir
  8. A história parece ser bem legal. Gostei dos comentários feitos na resenha. Me deixaram mais curiosa ainda. A capa está bem chamativa. Gosto disso. Fiquei feliz por ser uma ótima opção de leitura. Com certeza vou ler. Valeu pela resenha. Amei.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  9. Eu adorei a história do livro e, como uma fã de carteirinha do Stephen, estou louca para lê-lo. A história parece ser muito legal e até agora só vi resenhas boas. Espero que o meu exemplar chegue logo.
    Adorei a resenha.

    ResponderExcluir
  10. Eu adorei a história do livro e, como uma fã de carteirinha do Stephen, estou louca para lê-lo. A história parece ser muito legal e até agora só vi resenhas boas. Espero que o meu exemplar chegue logo.
    Adorei a resenha.

    ResponderExcluir
  11. Eu adorei a história do livro e, como uma fã de carteirinha do Stephen, estou louca para lê-lo. A história parece ser muito legal e até agora só vi resenhas boas. Espero que o meu exemplar chegue logo.
    Adorei a resenha.

    ResponderExcluir
  12. Um dos meus autores favoritos!!! Quero muiito esse livro!

    ResponderExcluir
  13. Adorei a história, gosto dessas histórias ambientadas nos anos 60. Gosto muito da escrita do King, em muitas partes conseguimos nos identificar, gostei dos trechos que vc destacou, parece ser muito bom mesmo, Tbm adorei a capa e as ilustrações ^^

    ResponderExcluir
  14. Telma, gostei desse livro, e acredito que não teria o problema do Terror. E ainda mais enfatizando a amizade, amo livros que mostram essa parte. Vou ver se o leio, sei que vou amar.

    ResponderExcluir
  15. querendo muito ler esse livro, King é animal *--*
    Rafaela
    https://www.facebook.com/rafaela.figueiredo.984

    ResponderExcluir
  16. O primeiro livro de SK que li foi It, a Coisa e realmente é muito detalhista. Esse, pela resenha, parece ser um pouco menos pesado. Adoraria ler. Tentando a sorte, porque no momento não dá para comprar.
    https://www.facebook.com/sueli.cobbos
    suquinha@gmail.com

    ResponderExcluir
  17. Eu amo King e estou doida pra ler esse!! Adorei as passagens que vc destacou e realmente é difícil imaginar o King criando um personagem fofo... mas parece que ele conseguiu né?? rsrs
    Achei a nossa capa bem mais bonita, mas adoraria que a edição tb fosse ilustrada. Preciso ler logo, antes que saia o filme!!
    Beijos!!!!!!

    ResponderExcluir
  18. Lendo essa resenha eu consigo transformar na minha mente aquela cena ficando real, fico com mais curiosidade no livro.

    ResponderExcluir
  19. Telma é impossível ler uma resenha tua e terminar sem querer comprar o livro.
    Esse eu já queria e agora estou aqui pensado loucamente o que farei para conseguir.
    pena que não vem com o pirulito, rsrsrs
    beijos Gatona <3

    ResponderExcluir
  20. Há algum tempo sigo seu blog e toda vez que leio suas resenhas fico instigada para ler o livro.
    Muito bom!!!

    ResponderExcluir
  21. Olá. Acredita que nunca li nada do Stephen King? rsrs pois é, mas tenho muuita vontade de conhecer seus livros, admito q também não li nada do gênero terror ou suspense e quero começar com alguma obra do autor e Joyland parece perfeita, pois como vc mencionou não tem realmente terror, como já ouvi falar em outros livros dele. Adorei os quotes que retratam um pouco do personagem Devin, principalmente o último. Já me identifiquei com ele rsrs Ansiosa para conhecer esta história.

    ResponderExcluir
  22. Oi! Quem nunca ouviu falar do mestre do terror? Ahah. Nunca li nada dele, mas os pequenos trechos que já vi e as sinopses sempre me conquistaram. Também percebi que esse pega mais leve no terror e não acho ruim por isso, além do mais o realismo que parece que ele usou nos personagens deve ter deixado uma trama fascinante. Anos 70 realmente era febre parques de diversões e gosto de ler um livro que trate desse tempo, ainda mais com um toque de leve de sobrenatural. Achei bonita as duas capas, mas também prefiro a da Suma, pelo que contou parece ser mesmo mais fiel a história.
    Estou louca para ler.

    ResponderExcluir
  23. já li alguns livros do autor e por isso to mega curiosa pra ler joyland, sempre amei esse clima de suspense que é tipico de Stephen King.

    ResponderExcluir
  24. Ameiiiiii saber que vai ser adaptado, eu tinha pesado nisso, pelo pouco que já tinha lido sobre o livro e saber que era num park eu tinha imaginado que daria um ótimo filme rsrsrs
    Agora meu apetite aumentou, e quero devorar essa obra

    ResponderExcluir
  25. Me apaixonei pela resenha, fiquei com muita vontade de ler agora. Antes eu só queria pela capa (haha), agora quero porque a história parece ser fascinante! O mais legal é que não é um terror de arrepiar cabelos, como você disse. O que acho bacana.
    O livro parece ter uma proposta bem diferente, e me lembra alguns filmes que assisti quando mais nova haha
    Bjs

    ResponderExcluir
  26. Ahh... Que livro!! Li em apenas 3 dias, nunca peguei um livro tão rápido... E tão bom!! Eu esperava algo mais a ver com terror e essa espectativa foi pelos ares, mas logo percebi que ela nao era necessaria então nao afetou minha leitura! Me surpreendeu positivamente, amei amei. Indico para quem quer começar a ler King pois é muito rápido de ler. Confesso que me emocionei no final rsrs Adorei sua resenha e estou louca para ver o filme!

    ResponderExcluir
:) :( ;) :D :-/ :P :-O X( :7 B-) :-S :(( :)) :| :-B ~X( L-) (:| =D7 @-) :-w 7:P \m/ :-q :-bd

Vai ser muito bom saber o que você achou dessa postagem!
Opine!