03 setembro, 2016

Resenha: Apenas um Garoto



Rafe saiu do armário aos 13 anos e nunca sofreu bullying. Mas está cansado de ser rotulado como o garoto gay, o porta-voz de uma causa.

Por isso ele decide entrar numa escola só para meninos em outro estado e manter sua orientação sexual em segredo: não com o objetivo de voltar para o armário e sim para nascer de novo, como uma folha em branco. O plano funciona no início, e ele chega até a fazer parte do grupo dos atletas e do time de futebol. Mas as coisas se complicam quando ele percebe que está se apaixonando por um de seus novos amigos héteros.


“Engraçado, inesperado, apimentado com diálogos excelentes – e, o melhor de tudo, dolorosamente honesto.” 

 Ned Vizzini, autor de Casa de segredos e Uma história meio que engraçada.




Cara, eu fiquei encantada com essa história. Mesmo já sendo "velha" para ler um YA (Young Adult - Jovem Adulto), a temática desse livro super me interessou quando a Editora Arqueiro lançou.

Interessou-me demais porque me identifiquei. Meu sobrinho (que considero filho) é gay e assumiu-se desde cedo (um ato de coragem que eu sempre admirei e valorizei) e as consequências desse "assumir-se" trouxe para a vida dele uma série de preconceitos, tanto da parte da família, quanto a dos amigos que passaram a olhá-lo com outros olhos.

Hoje em dia ele tem 23 anos. É lindo! Sabe o que quer e, como o Rafe (personagem principal do livro), só quer ser feliz sem rótulos.

Vamos à história?

Rafael que saiu do armário aos 13 anos e ao contrário do que costumamos ver, não sofre bullying. De qualquer forma, ainda que não tenha sofrido diretamente, é conhecido como o "carinha gay" da cidade.


"Quando você é o filho gay de Gavin e Opal, sempre tem uma sensação de estar sendo observado. Mas isso não necessariamente acontece de um jeito ruim. As pessoas apenas observam. Porque você é interessante e diferente. O problema é que você não sabe o que elas estão vendo."

Querendo experimentar como é viver sem ser rotulado, Rafe, decide mudar de escola e passar a frequentar uma escola para meninos. Todos ficam contra a decisão, inclusive a melhor amiga dele, Claire (que é um sarro).



Outra figura que se destaca no livro é o Sr. Scarborough (fofo de tudo)! Saca esse quote:


Rafe,    

Muitas coisas boas nesse texto! Fiquei emocionado. Não apenas pelo garoto que fez a pergunta,mas porque sinto dor na sua escrita. Isso significa que você fez um bom trabalho ao descrever a cena e não apenas contar sobre ela. Ao mesmo tempo, é curto. Você poderia ter falado mais? Há momentos em que você prefere evitar a exposição quando poderia ter se mostrado mais? Dê uma olhada no parágrafo que escreveu "E de repente me senti mal por ter agido como se não tivesse tanto problema ser gay". Quais outras escolhas você poderia ter feito lá e como elas mudariam o texto?

- Sr. Scarborough

E é quando tudo começa a ficar divertido, cheio de reflexões e dinâmico. É uma leitura leve mas, profunda (ao menos para mim que tive a grande identificação acima citada). Ele, por não ter trejeitos, entra para o time de futebol, faz amigos, e se torna o que sempre quis: alguém sem rótulo... se torna apenas um garoto... a complicação chega quando ele se apaixona! 

Fofo! Super indico para quem quer uma leitura leve com tema muito atual.








17 comentários:

  1. Telma, me parece um livro gostozinho de ler rs.
    E me identifiquei total com o personagem, mesmo vc não sofrendo com o preconceito, ainda assim existe um peso invisível sobre a sua cabeça. É uma sensação incômoda.

    Hug

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele é gostoso mesmo, Marcinha... leitura rápida porque a gente fica querendo saber mais.
      Beijoconas imensas
      :)

      Excluir
  2. aaaaaaaaaaaaah, que foooofoo *-*
    gostei desse livro...
    no livro conta a história do romance dele tbm? *-*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. conta, sim Dai....
      é fofucho mesmo!
      ;)

      Excluir
    2. ah que lindo, precisamos de mais livros assim para que as pessoas aprendam a conviver com isso.. ja que é tãaaaaaaaaaaao difícil entenderem :x

      Excluir
  3. Olá!
    Já tinha visto outra resenha sobre este livro, e desde a primeira vez que li me interessei pela leitura. Infelizmente o preconceito continua forte, mas acredito que quanto mais tratarmos sobre o tema, mais as pessoas se tornarão tolerantes e aprenderão a ter respeito. Adorei a sua resenha, o livro parece ser bem fofo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lara,
      Pensamos da mesma forma: as pessoas, todas, só querem ser felizes, mas o preconceito é pungente e, muitas vezes disfarçado.
      O livro vale muito a pena.
      Beijocas

      Excluir
  4. Também já tinha lido outras resenhas desse livro, e já tinha me encanto por essa história. Gostei da forma como as pessoas se esconde por medo do que os outros vão dizer, e como se todo mundo precisasse colocar uma mascara para agradar a sociedade, e o que mais me chamou e a forma como essa trama vai se desenvolvendo cheia de reflexões, e uma leitura leve, e parece ser muito boa, pretendo ler esse livro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acredito que vc vá gostar muito, Lana
      beijoconas
      :)

      Excluir
  5. Olá,
    Acho que já tinha visto essa capa em algum lugar, mas nunca tinha lido resenha sobre ele. O que achei interessante é que não apenas ele, mas creio que todas as pessoas que têm outra orientação sexual querem continuar sendo normais, e não apenas conhecidas por ser de tal maneira. Esse livro parece ser muito bom e inclusive pode ajudar outras pessoas também.
    A capa é bem bonita, muito boa sua resenha.
    Beijos :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Anny....
      Combater o preconceito com conhecimento é a saída... e esse livro bem humorado, faz isso.
      beijocas
      :)

      Excluir
  6. A primeira vez que leio algo a respeito desse livro, não sabia que era essa temática. Discriminação é algo horrível, mata tanto internamente quanto externamente. Ele deve ter ficado bem encrencado quando se apaixona. Queria saber o final, espero que não seja aqueles finais bobos e flutuantes.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, gata...
      discriminação é algo que abomino.
      Ele se encrencou um pouco quando se apaixonou, mas... faz parte, né?
      ;)

      Excluir
  7. Poxa, nunca li um livro com essa temática mas essa resenha me deixou com muita vontade! Desde já torço para que o personagem principal tenha um final feliz e estou curiosa para saber se isso acontece :D

    ResponderExcluir
  8. Oi Telma!
    Estou com esse livro na minha lista de desejados. Acho a premissa muito interessante e apesar de ser um livro infanto-juvenil, quero muito ler. E saber que é uma leitura leve, melhor ainda. Gostei muito da sua resenha, fiquei mais motivada ainda para fazer a leitura desse livro fofo. Beijinhos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Márcia, não é infanto juvenil, não... é jovem adulto.
      Acredito que vá gostar bastante!
      *smack*
      ;)

      Excluir
:) :( ;) :D :-/ :P :-O X( :7 B-) :-S :(( :)) :| :-B ~X( L-) (:| =D7 @-) :-w 7:P \m/ :-q :-bd

Vai ser muito bom saber o que você achou dessa postagem!
Opine!