09 maio, 2016

STÂNIX

O PODER DOS ELEMENTOS



Stânix é um reino medieval que já foi habitado por humanos, anões e elfos. Durante a primeira guerra, liderada pelo tirano Syrt, o reino só foi salvo pela magia e inteligência dos elfos. Porém, a raça foi obrigada a deixar o reino, incitados pela profecia da segunda guerra. Aaron, um dos nascidos sob o sangue do primeiro grande conflito, foi deixado para trás e nem imagina o destino que lhe aguarda. Apenas ele pode salvar o reino. A profecia está dita e Stânix está em suas mãos...








Stânix # 1
Eder A. S. Traskini
140 páginas
Novo Século


Numa guerra um instante de hesitação pode ser a diferença entre a vida e a morte. Nesse momento, a guerra começou para nós todos e é bom vocês aprenderem essa lição.

Fiquei encantada pela capa do livro, o jogo de luzes na floresta ficou muito bom e ainda as várias tonalidades de verde em contraste com a luminosidade me fez desejar entrar na capa.
O maior problema que encontrei nesse livro foi a quantidade de páginas, mais parece um capítulo do que realmente um livro - dos livros de fantasia que estou acostumada a ler - e isso fez com que ficasse frustrada quando cheguei ao final, a história realmente me fisgou e queria muito mais. Se há um defeito, é esse.
A linguagem com que foi escrito insere o leitor na história, de fácil leitura, leve, com partes descontraídas, muita aventura, mistério, ação, lutas, enfim, tudo e mais um pouco de tudo que precisa ter um livro desse tipo, e para mim teve pouco detalhamento, gosto de tudo muito detalhado. Então para os que amam livros que não ficam explicando muito, esse é ótimo!
Bem vindo ao reino Stânix, nele temos cidades e aldeias dos mais diversos tipos, construídas pelos diversos seres que o habitam.  Cada cidade possui seu legado e deixou algo para o seu povo, cada uma possui o seu líder. Infelizmente, após a última guerra os Elfos abandonaram sua cidade e sumiram do reino, os abandonaram e isso é um grande mistério. Também é um mistério tudo a respeito sobre os dragões, esses seres que nunca ninguém jamais viu, ou melhor, apenas um homem em Stânix viu, dizem que ele é eterno, não morre nunca. Como é possível algo assim?
Mas, o engano maior se chama Aaron, um garoto de orelhas pontudas que vive em uma aldeiazinha no meio do nada, voltada para a agricultura, sendo ele o maior atraso para todos, nunca se destacou em nada na aldeia, dizem que ele nunca foi dali, e ele se sente um deslocado, não familiar entre seus tios adotivos. Fora abandonado quando criança e sonha muitas noites a respeito de uma guerra, mas não sabe do que se trata, já que a única guerra que ocorreu foi quando era um bebê, como poderia se lembrar de algo assim?
Só que Aaron é muito ágil e muito bom com espadas e adagas. O melhor espadachim de Mharol, e quando surge a ameaça de guerra novamente, os lideres da cidade fazem uma reunião e decidem dar a mão de Sora – a filha do chefe da aldeia – para o filho do rei que tenta conquistar toda Stânix. É nesse momento que Aaron toma conhecimento de Elfos e magia, pela primeira vez. Fora a surpresa de Sora logo ser desposada, a única pessoa que é amiga dele em toda aldeia, e que ele preza muito. A presença dele na reunião é única: escoltar Sora até a cidade de Guil e dá-la ao rei para manter a paz em Mharol.
Aaron aceita, mas devido ter 15 anos apenas, Farep fica encarregado de ajudar os dois a chegarem em Guil sem se perderem, e principalmente os guiando para passar bem longe da floresta dos elfos. Dizem que ali há todo perigo existente e que ninguém sai dela vivo.
A viagem inicia com Aaron, Sora e Farep. Esses três sofrem todo tipo de inconveniências possíveis e acabam mudando o curso da viagem. Encontram outros que os ajudam e alguns que os traem. A união dos anões com eles foi para mim a melhor parte, e a traição de um dos que se juntam a eles me cortou o coração. Descobrir sobre a cidade do deserto e seu significado ficou marcado em minha memória e mal posso esperar para saber o que vai ocorrer no segundo livro, creio que muito a respeito dessa cidade e do que vem embutido nela (os dragões) vai vir a tona.
Li o livro praticamente sem fôlego devido a ação contida nele, e ser fisgada pela história como fui. A escrita não é simples e nem rebuscada, mas madura o suficiente para não torna-la infantil.
A ideia do autor foi excelente!
Sobre os personagens, Aaron tem de descobrir quem ele realmente é, lembrar-se do que esqueceu e principalmente do motivo de ter esquecido. Desenvolver seus talentos, ele tem domínio dos elementos e metais de forma única.
Farep é o cavaleiro experiente e que sabe o suficiente, mas que guarda segredos e uma relíquia de Aaron. Um personagem forte, inteligente e fiel.
Sora, a moça mágica. Ela consegue manipular a magia. É curandeira também. Melhor amiga de Aaron, fiel e companheira, a que concilia tudo e tenta dar o melhor de si em todas as situações. Nem pensem que ela é uma donzela em perigo, essa mocinha nada mais é do que uma excelente arqueira!
Não há personagens fracos, de início Aaron, mas no decorrer da leitura percebe-se o motivo, o que ocorreu com ele e que apenas estava na “cidade errada e afazeres errados”. Lembra no inicio que disse que cada cidade é para determinada raça? Pois é, Aaron tem muito a se descobrir e nos maravilhar.
Há vários personagens que não posso citar para não estragar o livro.
Tudo começa a respeito dessa guerra que o rei de Guil inicia, mas no decorrer da história percebe-se que há muito mais, até uma profecia antiga está inserida nos acontecimentos.
É muita história para a quantidade de páginas, somos bombardeados o tempo todo, e no final esperei mais revelações, teria de ter mais páginas, o autor quer me torturar até eu ler o próximo! Não termina sem um desfecho, mas com o desfecho do início da aventura que culmina e outras aventuras.
Se não fosse minha agonia por querer mais desse mundo de Stânix, por querer ficar mais com Aaron e Sora e os outros que aparecem, minha agonia pelos dragões (que amo!), não teria ficado chateada pelo término. Entenderam? O autor consegue prender o leitor e aguçar o desejo pela leitura do próximo. Meu sentimento foi de assistir uma série queridinha na tv e ficar louca pela continuação na próxima semana.
Aguardando o próximo com ansiedade!
E agradeço a Chellot do livro viajante do skoob pelo empréstimo! Amei!

Quando estava com uma espada na mão, esquecia-se do mundo, se concentrava apenas em vencer a batalha, apenas no fio de sua lâmina e na do adversário, parecia antever os golpes.



8 comentários:

  1. Muito boa a resenha Cindy. Gostei muito de Stânix, mas ficou com um gostinho de quero mais. A sequência dessa história já foi lançada Stânix - A Fúria dos Dragões.
    http://www.skoob.com.br/stanix-573514ed574306.html

    Beijos doces.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Claudia, obrigada pelo empréstimo! Amei a leitura.

      Excluir
  2. Oi Cinthia,
    Eu sempre vejo esse livro pelos blogs, na verdade via, faz tempo que não o vejo, mas nunca tive muita vontade de fazer a leitura, porque ao contrário de você a capa não me agrada. Acho que não gosto de verde, deve ser isso. hauhauah
    Mas a tua resenha me fez ver a obra com outros olhos, além da capa, pena que é tão curto.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nada Kris, tenho a tendência de gostar de coisas que poucos gostam, gosto restrito. Mas, amo todas as cores, só não gosto de amarelo para roupa para mim. Tenho pavor!
      É um bom livro, mas muito pequeno. E creio que o segundo seja praticamente assim, fininho, então vou esperar bastante, até ter vários lançados, daí não leio a contra gotas. Beijos.

      Excluir
  3. Adorooo histórias de aventuras! Elas me fazem lembrar de Tristão e Isolda (o livro mais triste que já li, se tratando de romance, porque ainda tem o Marley e Eu RS), eu lembro desse livro porque nele as personagens são levadas para um lugar diferente a cada capítulo e o leito fica muito curiso para saber qual o próximo passo. Bom, com certeza quero ler essa saga também, mas como o autor é malvado com os leitores desse jeito kkkk vou esperar saírem os próximos pra não ficar na angústia de ter que esperar.

    ResponderExcluir
  4. Cinthia minha querida,
    Tenho certeza que o livro é bom pq a sua resenha está incrível.
    Da pra sentir o quanto você gostou e quão especial é esse livro, até eu me apaixonei por ele, e oh que esse não é meu estilo preferido de livro.

    Parabéns!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só é um livro minúsculo, uma pena isso!

      Excluir
  5. Oi Cinthia, nossa amei esse livro pela sua resenha! Nunca tinha ouvido falar dele mas fiquei encantada pela história que parece muito interessante, apesar de ser um livro bem pequeno em relação aos de fantasia atuais(George Martin e Patrick Rothfuss me acostumaram com muuuitas páginas kkk). Beijinhos

    ResponderExcluir
:) :( ;) :D :-/ :P :-O X( :7 B-) :-S :(( :)) :| :-B ~X( L-) (:| =D7 @-) :-w 7:P \m/ :-q :-bd

Vai ser muito bom saber o que você achou dessa postagem!
Opine!