29 maio, 2016

Garota Infernal




Livro de Audrey Nixon, baseado no roteiro de Diablo Cody, a ganhadora do Oscar de melhor roteiro original pelo filme "Juno".

O livro conta a história de Jennifer, uma popular líder de torcida que, após um ritual, é possuída por entidades demoníacas e passa a assassinar os garotos da cidade e se alimentar de seus corpos.

Cabe à melhor amiga de Jennifer impedir seus ataques e ir atrás da banda de rock responsável por iniciar a transformação de Jennifer.





Jennifer's Body
Diablo Cody...
192 páginas
Record 


Eu costumava ser normal... Bem, tão normal quanto qualquer garota sob a influência dos hormônios da adolescência. Mas, depois que os assassinatos começaram, passei a me sentir, não sei, meio desparafusada ou algo do tipo. Desmanchando como aquela calça jeans que fiz na aula de economia doméstica. Despedaçada como frango xadrez. Morta por dentro.


Sempre ouvi muito a respeito desse livro, tentei assistir o filme, mas as cenas são fortes, então desisti. E, por acaso o li, e não é que gostei da leitura!
O li em uma sentada, esperando minha tia na recepção de um edifício. Ele só tem 196 páginas e os acontecimentos são eletrizantes, não conseguia se quer levantar o olhar das páginas.
Anita, apelidada pela amiga Jennifer, de Needy, conta sua história de como foi parar em um hospital psiquiátrico por matar a amiga, e como passou a ter alucinações e ideias de grandezas. Isso não é spoiler, nos é contado no primeiro capítulo do livro.
Ela é uma garota nerd e tímida, não gosta de aparecer, não é popular como Jennifer é/era, mas tinha um namorado firme e que a amava, até sua vida se transformar ao ir a um show de uma banda que visitava a cidade delas.
Durante o Show ocorre um incêndio e Jennifer resolve ir com o pessoal da banda e ao retornar de onde eles a levaram ela volta “outra pessoa”.
Sério, pensei que ia ficar apenas em mortes e sangue (e pensei que teria bem mais do que há), mas teve algo mais no desenvolvimento que me chamou a atenção, Needy começa a se conhecer melhor, ver quem sempre foi Jennifer e que não foi tão sua amiga quanto ela pensava ser. O romance de Needy e Chip foi muito bem explorado, só não gostei por saber como tudo acaba, queria outro final para toda confusão louca que elas se meteram. Fora isso, apesar de a leitura ter cenas de mortes, muito sangue, vingança e explorar esse lado demoníaco de uma pessoa e ter todo o ocultismo das trevas, a leitura decorreu bem melhor do que eu pensei que seria para mim.
Narrado em primeira pessoa, sob o ponto de vista de Needy, os aspectos abordados não ficaram apenas no terror, mas fala sobre a amizade e lealdade. A linguagem é simples, há partes fortes para pessoas sensíveis e consegue encabular aquelas pessoas que conseguem reproduzir a cena, montam ela em imagem na cabeça, se você é assim, tome alguns cuidados, como o de não ler a noite, por exemplo. Caso seja acostumado a ler livros de terror e de assassinatos pode achar esse livro bem leve em vista de muitos.
O final apesar de dar a entender o que ocorreu, ficou em aberto, queria ter a noção de como tudo terminou, isso me fez ficar muito incomodada, mas para algumas pessoas não fará diferença.
Se você gosta de um livro com um término manifesto, certamente vai se decepcionar. Então, leia-o com a mente aberta para quando chegar ao final não se frustrar.
Uma ótima leitura, apesar do final aberto.


Mas, primeiro quero deixar uma coisa bem clara. Muita gente pergunta se eu me arrependo de ter feito o que eu fiz. A única coisa de que me arrependo é de não ter feito antes.



21 comentários:

  1. amiga Cinthia, só posso fazer um comentário, essa menina é louca!
    como assim se arrepende de não ter feito antes?! :O
    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk ja ouvi falar desse filme mas nunca pensei que tinha livro.. e fica tranquila que é normal a gente não gostar dos filmes e conseguir ler os livros, alguns roteiristas não leem os livros antes kkkkkkkkkkk
    :*****

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ela não é louca, é a normal da história para dizer a verdade... pelo menos a mais normal no sentido geral da palavra. No decorrer da história vai compreendendo o motivo dessa frase dita assim, tão tão tão. O livro é bom, mas não consegui assistir o filme devido as mortes... no livro a imagem não era tão "real" em minha mente.

      Excluir
  2. Eu sempre tive curiosidade em ver o filme da Garota Infernal por sempre estar nas indicações do Netflix, mas confesso que, assim que comecei a assistir o filme, eu parei acho que menos da metade. O caso é que eu realmente achei fraco, não me assustei em nenhuma das partes e achei os efeitos do filme muito clichês, sem graça (como na parte em que Jennifer vomita um negócio preto no chão da casa da amiga dela, achei sem sentido, porque a garota deveria ir assustar os caras que fizeram mal a ela e não a amiga). Você disse que não terminou de ver o filme, mas já que leu o livro, poderia me indicar se ele é parecido com o que mostra na tv? Porque se for, na maior sinceridade, sei que não vou gostar. rsrsrs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa Lavinia, eu senti nojo extremo quando ela vomita aquela coisa preta, versão filme A Coisa só que preta. Não sei se assistiu esse filme "A Coisa". Bom, particularmente não gosto de assistir/ver filmes que mostra aquela sanguera sem lógica, como se no corpo humano tivesse 800 mil litros de sangue. E no filme é muito disso, só assisti até o vomito, meu estômago revirou e desisti. No livro, a cena do filme veio na minha mente, o nojo também, mas a forma como Needy narra me prendeu ao livro e fiquei intrigada com esse quote que coloquei, como alguém fica louca para matar a própria amiga? E qual o motivo disso? Então, queria entender a Needy e não a Jennifer. No filme não tive essa parte de ler e estar no pensamento da Needy, ela é um personagem intrigante, ela esconde seu verdadeiro eu, sua essência por amizade a Jennifer e só o namorado a vê plenamente... então ir conhecendo essa parte dela foi muito gratificante para mim. Pois é, quanto a assustar a amiga, é no decorrer do livro que vai entendendo o motivo de ela ir lá, essa cumplicidade delas, esse pacto delas mesmo sendo tão diferentes que para mim foi o que me prendeu e no filme não tem isso, creio que se perde devido ser "visão em tela" e não visão em leitura. Eu consegui ler o livro, não o achei tão insuportável quanto o filme, há mais sentido e explicação para as atitudes de todos, principalmente da Needy. Comece a ler, veja se gosta. Depois me conte tá! Bjs.

      Excluir
  3. Eu sempre tive curiosidade em ver o filme da Garota Infernal por sempre estar nas indicações do Netflix, mas confesso que, assim que comecei a assistir o filme, eu parei acho que menos da metade. O caso é que eu realmente achei fraco, não me assustei em nenhuma das partes e achei os efeitos do filme muito clichês, sem graça (como na parte em que Jennifer vomita um negócio preto no chão da casa da amiga dela, achei sem sentido, porque a garota deveria ir assustar os caras que fizeram mal a ela e não a amiga). Você disse que não terminou de ver o filme, mas já que leu o livro, poderia me indicar se ele é parecido com o que mostra na tv? Porque se for, na maior sinceridade, sei que não vou gostar. rsrsrs

    ResponderExcluir
  4. Bom, eu assisti o filme A Garota Infernal, e na época gostei, o que era a alguns anos atrás, mas hoje em dia não sei se eu leria, pois não faz muito meu estilo de leituras, e eu não gostei tanto do filme a ponto de ler o livro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Mariele pelo comentário. Abraços.

      Excluir
  5. Eu assisti A Garota Infernal e não gostei. Achei o filme bem violento e com muito sangue. Não sabia que o filme era baseado em um livro rs
    Não leria o livro, pois sou muito medrosa. Não leio nada do gênero terror, pois depois fico com as imagens na cabeça e acabaria sonhando com os acontecimentos...
    Que bom que você gostou do livro, apesar do final aberto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pamela mesmo medrosa conseguiu assistir o filme, eu nem isso! Acho que no quesito medo, eu ganho eim!

      Excluir
  6. Olá! Não assisti o filme, porque não gosto desse estilo. E também não tenho nenhuma curiosidade para ler esse livro, ainda mais agora que você comentou que o final fica em aberto. Não tenho paciência para ficar imaginando o melhor final, fico frustrada! Mas sua resenha está ótima, sincera e clara. Obrigada. Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marcia, só leio livros assim ou assisto filmes quando preciso de um pouco mais de adrenalina... e foi o caso. Entendo você perfeitamente.

      Excluir
  7. Eu sou apaixonada por esse filme, apesar de não curti o gênero. Já assisti tantas vezes que só de ler a sua resenha já comecei a visualizar algumas cenas mais marcantes. Quero muito ver como ficou a adaptação em livro, já que é raro eu gostar tanto do filme assim. Não acho o final aberto, mas aí vou ter que ler o livro para saber se é diferente ou não.

    Beijos, Gabi
    Reino da Loucura || Participe do top comentarista de junho e concorra ao livro The Kiss of Deception

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gabriela, não assisti o filme. Bem, para mim o final ficou aberto, no livro. Não completamente, mas sim, fica. Leia, depois me diga, amaria saber o final do filme, mas alguém que me conte, vou tentar encontrar um para me contar. Obrigada, beijos.

      Excluir
  8. Oi Cinthia,
    Não cheguei a ler o livro e pra falar a verdade acho que não o leria, ainda mais vc mencionando esse final aberto. x(
    Não é a minha.
    Já assisti ao filme e também não curti muito, por isso acho que essa é uma leitura que eu não encararia. Beijos

    ResponderExcluir
  9. Li esse livro há séculos e ainda hoje me lembro de como o devorei em pouco tempo, haha.
    Eu era tão alucinada pelo filme que o assistia toda semana. Foi o primeiro filme que vi com a Amanda Seyfried e me apaixonei pela atriz.
    o livro é uma delícia de ler, mas conhecendo a história já sabia exatamente o que esperar, amei conhecer a história mais profundamente pela Needy seus pensamentos ocultos e sentimentos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente a leitura é muito rápida, não consegui parar de ler. Só não consegui assistir o filme, muito sangue... creio que no livro não fico tão fixada no matar/sangue.

      Excluir
  10. Nossa Cinthia, admito que nunca tive coragem pra ver esse filme e provavelmente não terei para ler o livro kkk. Eu sou do tipo de pessoa que consegue reproduzir bastante a cena enquanto leio e sou meio fraca para assassinatos e afins então não é pra mim. Porém, sempre tive curiosidade de saber sobre o que era a história (pois fui medrosa ao ponto de nunca ter lido a sinopse) e foi bem legal ler sua resenha, me fez até ter um pouco de vontade de ler. Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jade, não consegui assistir devido a isso. Mas, o livro apesar de reproduzir o que estou lendo, para reproduzir bem a cena precisa ser cenas bem detalhadas. Nesse livro, algumas são, outras não. Então foi mais fácil para mim. Agora o filme, nossa... por isso não consegui assistir.

      Excluir
  11. Oi,
    Eu sou daquelas que lê de tudo menos terror, sabe?! Eu vi o filme, bom, algumas partes eu fechei o olho ou mudava, e sabia que tinha o livro, mas não pretendo ler por medo mesmo rs.

    ResponderExcluir
  12. Oi!
    Sabia do filme, mas ainda não conhecia o livro, a historia pareceu interessante e bem assustadora e por geralmente fugir dos livros de terror esse não é o tipo de historia que gosto, mas para quem gosta parece ser uma otina leitura !!

    ResponderExcluir
:) :( ;) :D :-/ :P :-O X( :7 B-) :-S :(( :)) :| :-B ~X( L-) (:| =D7 @-) :-w 7:P \m/ :-q :-bd

Vai ser muito bom saber o que você achou dessa postagem!
Opine!