28 fevereiro, 2016

Resenha: 8


Érica é casada com Aron Novaes há oito anos, e Albert Einstein de sete anos é o único filho deles. Eles moram em Brasília, e em 1983 um acontecimento levou Aron a buscar ajuda profissional. O psiquiatra Augusto surpreendeu os dois quando revelou que Aron tinha cinco personalidades ativas. Para resolver, o psiquiatra o ajudou a criar uma sexta personalidade, mais forte do que as anteriores, pois assim ele poderia levar uma vida normal.
Érica escreveu um livro contando a história do seu marido e começou a viajar para várias cidades do Brasil para eventos de divulgação, e isso fez com que se afastasse ainda mais de Pedro e Luis (amigos de seu irmão sumido em 1972 num protesto contra a ditadura), ativistas que organizam passeatas em apoio ao movimento das “Diretas já!”. Tirando isso, as coisas pareciam bem, mas em março de 1984, depois dela voltar de uma dessas viagens curtas, percebeu que o comportamento do marido não estava normal. O medo dela agora é que ele tenha criado uma nova personalidade, ou libertado uma das antigas. 




Oi, surtadinhos!

O primeiro livro sobre personalidades múltiplas que li foi Sybil, de  Flora Rheta Schreiber, super antigo. Li quando era adolescente ... o tema já me fascinava.

No livro de Neto Sanville a proposta que viram na sinopse é encantadora e há um trabalho de pesquisa sobre o assunto, porém, não uma pesquisa muito vasta.... então é possível que profissionais da área discordem de algumas de suas afirmações. 

Augusto, o psiquiatra, decide criar uma personalidade dominante, para um paciente que já havia revelado 5 outras. Esta seria a 6ª personalidade. Tudo parece estar dando certo até que Aron começa a dar mostras de que não está reagindo normalmente.

Gostei da personagem de Érica, a esposa de Aron, que demonstra empatia, amor e sabedoria, ao enfrentar todo o processo de transtorno dissociativo de identidade que o marido apresenta e se revela a cada vez mais intricado, no decorrer das páginas.

No começo do livro eu me perguntava o tempo todo onde estavam as outras duas personalidades, já que o título do livro é 8 e claro... fiquei surpresa quando descobri. Se você ler o livro, também vai ficar.

Já imaginaram o que é viver isso?

Neto poderia ter escrito um livro mais denso, mas acre
dito que este não tenha sido seu propósito, intencionalmente. Creio que ele tenha querido deixar acessível este tipo de problema para a maioria das pessoas e isso me agradou bastante.

Juntamente com o problema de múltiplas personalidades, que é tema central do livro, vemos que ele discorre também sobre algumas temáticas paralelas, ampliando assim o horizonte (mundo) das personagens.


Gostei de notar vemos nesse livro que esse transtorno é de origem psicológica, é tratável e pessoas comuns estão sujeitas a ele. Alguém que não tenha uma essência má, está sujeita a fazer coisas ruins amparados por uma personalidade... de qualquer forma, não necessariamente é uma pessoa má.

Se deseja uma leitura descomplicada sobre o assunto, esse livro é sua pedida. Caso queira algo mais assustador, ou algo mais aprofundado, vai se decepcionar.







Sobre o autor:




Sou Brasileiro, filho de Brasileiros. Nasci no interior de Pernambuco no dia 22/05/1975. Aos dezoito anos me mudei para Maceió –AL onde vivo até hoje. Sempre trabalhei estampando camisas, e tive vários hobbies durante minha vida. Fiz vários tipos de artesanatos, toquei violão e montei bandinhas com músicas autorais, fiz animações e curta metragens, escrevi peças para alunos, além de pequenos contos e piadas, mas nada disso profissionalmente. Gosto de felinos, de música, livros, artes e curtir a natureza. Em 2011 decidi levar a vida mais a sério e foi quando comecei a escrever histórias maiores e mais trabalhadas e assumi o anagrama Neto Sanville. 8 é o meu terceiro livro escrito, e o primeiro que está sendo publicado, mas já tenho mais alguns começados.



PS.: Possíveis erros gramaticais ou ortográficos serão corrigidos em minha releitura 



6 comentários:

  1. Telma, não entendo nada sobre esse assunto, mas sei que ele é a sua praia haushuahs mas confesso que o pouco que você escreveu já me deixou curiosa, eu gostei muito da personagem de Érica tbm, pelo pouco que disse ela parece fantástica.
    Beijokinhas :*

    ResponderExcluir
  2. Não conheço ninguém com esse transtorno Telma, e apesar de ler sobre nunca pude compreender bem como uma pessoa pode mascarar tantas personalidades em uma só. Normalmente vemos mais o transtorno bipolar que apesar de não ser esse para mim chega o mais perto devido as mudanças de humor, mas no caso seria humor e não personalidade. Me vem a mente o máscara kkkkk
    Amo esse tipo de assunto e se tiver oportunidade lerei o livro. Obrigada pela dica.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ah não... é bem diferente do bipolar.
      Muitas vezes, uma personalidade não conhece a outra e a pessoa não se lembra de nada do que a outra fez.
      Há que acontecer muitos traumas para desencadear esse transtorno, Cinthia.
      beijoconas em vc
      :)

      Excluir
  3. Comecei a ler o livro e estou achando muito interessante. Acho que desde sempre me interessei em assuntos psicológicos, coisas da mente são sempre fascinantes, mesmo se tratando de uma ficção como o livro :D Existem alguns errinhos bem pequenos de ortografia e gramática , como foi falado já na resenha, mas nada que perturbe muito o leitor e a leitura é muito simples, o que facilita para todos os públicos que quiserem lê-lo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. concordo com o que disse, Lavinia!
      muitos beijos

      Excluir
:) :( ;) :D :-/ :P :-O X( :7 B-) :-S :(( :)) :| :-B ~X( L-) (:| =D7 @-) :-w 7:P \m/ :-q :-bd

Vai ser muito bom saber o que você achou dessa postagem!
Opine!