05 junho, 2015

Poesia!!!!



A coletânea de diversos autores do Brasil, intitulada Palavra é Arte já tem mais de 25 anos no mercado, e vem promovendo, nesse meio tempo, a produção literária nacional. A proposta do projeto é selecionar autores brasileiros e publicá-los, possibilitando aos escritores anônimos a chance de ver seu trabalho fazendo parte de um livro bem organizado. O idealizador, se chama Gilberto Martins, professor formado em Letras Vernáculas pela PUC e pós-graduado Gramática textual e Literatura. Este ano, a coletânea chega a sua sexagésima sétima edição trazendo como destaque poemas do escritor maranhense Tonny Araújo.

Clique e veja uma das poesias!


Tonny Araújo (25) - (esse homem lindo na foto acima¹), já havia publicado ensaios, contos, crônicas e poemas de sua autoria em jornais universitários, e no Recanto das Letras. Foi vencedor do 35º concurso literário da sua cidade em 2013, e é autor do livro O suicida. É músico e graduado em História pela Universidade Estadual do Maranhão. Além da antologia, e do livro O suicida, o escritor atualmente trabalha em dois livros, sendo um de contos, intitulado Discos, cigarros & outros Blues, e um de ficção científica, de título Caixa de Raiva. Nas plataformas virtuais, pode-se ter acesso a alguns de seus textos, sempre acompanhados de ótimas trilhas sonoras em seu Blog tonnyar.blogspot.com.br. Abaixo um dos poemas presentes na antologia poética.

Advérbio de Negação

Hoje não quero banho de chuveiro
Não quero envelhecer, conhecimento coagido
Hoje não quero ler sobre liberdade
Discursos repetidos, não quero ser produtivo

Hoje não admito nenhuma forma de bondade
Não aceito inocência, nem minha meia verdade
Hoje. Hoje, não quero ser eu, nem você, nem nós.
Talvez por hoje critique o mártir, não o algoz

Hoje não quero fome, ou satisfação
Não quero roupas, telefones, indignação
Não quero destruir o mundo de ninguém
Impor meu ponto de vista, não quero ir além

Hoje quero sono, quero concórdia e um lençol
Não quero ver o dia, eu quero fugir do Sol
Ser metáforas simples para comunicar
Hoje não quero ir, tampouco quero voltar

Não quero advérbios negativos
Basta de Filosofia Moderna, interesses, moralismo
Não quero saber de colônia, muito menos escravos
Não me interessa os intentos dos abades, ou do Diabo

Hoje não quero ouro, nem chumbo
Não quero mesmo Marte, nem Saturno
Skull and Bones, Carbonária, Rosa Cruz
Bush's, Bodes, Fé Caolha, qualquer luz

Não quero modernismo, ver o triunfo do "egoísmo"
Não quero ser "moderno e eterno como um relógio antigo"
Chega de modernização, desse SUPEREGO EM AÇÃO!
Não quero regar a modernidade, ID-olatria à fabricação

Hoje, não quero ter palavras, leitura, escrita
Não quero ser poeta, expor fraquezas, feridas
Quero algo novo que permita o velho interagir
Mas não quero fatos feitos para que não possa refletir.

Sabem que o blog sempre abre espaço para as boas obras brasileiras, não sabem?
Então, surtadinhos queridos, nos contem o que acharam de "Advérbio de Negação", please!



O lançamento oficial da obra será realizado no I Simpósio Internacional Brasil/Itália: cruzamentos transatlânticos e questões interdisciplinares, entre os dias 26, 27 e 28 de agosto no prédio do curso de História da Universidade Estadual do Maranhão. 

Para mais informações, os interessados no livro podem contatar o autor em seu perfil (
https://www.facebook.com/tonnya3), ou pelo WhatsApp: 8278-0322. 



__________________________

1) Nota do blog.... mais especificamente da Telminha Myrbach :)

19 comentários:

  1. Mais uma vez obrigado pelo carinho e pela disponibilidade, querida Telma. Em breve, espero poder disponibilizar ao Surtos Literários (além desta antologia), outros trabalhos. No mais, desejo vida longa ao Blog, que é, simplesmente, fabuloso. Beijos mil.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prazer o nosso de ter você por aqui, Tonny.
      Abração
      :)

      Excluir
  2. Palmas
    Cresci ouvindo poesias, pois minha tia também escreve
    e ela sempre me pede aprovação rsrsrs
    e dessa acredite, eu gostei bastante

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bacana, Pepi, sua linda!
      Amo poesia também,
      Beijo grandão em você!

      Excluir
  3. Amo poesia. E este que você colocou aqui, me agradou muito. Vou procurar ler mais sobre as poesias do autor. Vamos prestigiar nossos autores talentosos.
    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exato Beth!
      Temos autores muito bons, também.
      Beijos, gata linda!
      ;)

      Excluir
  4. poesia fantástica! prêmio merecido ao autor!

    ResponderExcluir
  5. Já adquiri meu exemplar. Muito bom. Literatura de qualidade. Alguns poemas me remetem a prosa poética (ou seria poesia prosaica?) de Bernardo Soares (F.P.), como em "Tradução", "Tranquilo Desespero", "Histeroneurastênico" .... Mas o meu favorito foi "Elegia de Ícaro", que me lembrou alguns ditirambos nietzscheanos, especificamente "a canalha" e "o canto da noite". Claro que o que mais se destaca nos poemas é a inspiração e autenticidade do autor, mas eu sempre fico feliz em extrair da leitura algumas outras referências, as vezes minhas, as vezes do autor, ou talvez de ambos. Super recomendado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Horário,
      Excelentes observações!
      Bom tê-lo por aqui.
      Abraços
      :)

      Excluir
  6. Muito bacana a iniciativa do blog!
    E o prêmio que o autor recebeu foi muito merecido
    O que eu senti lendo a poesia é que ele criou meio que um paradoxo, né?
    Ao mesmo tempo em que afirma que não quer palavras, escrita, leitura, ele está unindo palavras e criando uma escrita espetacular.
    Falar em palavras, não tenho palavras para descrever. Espero não ter "falado" bobagem, rs

    Beijos,
    Duas Leitoras

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Kemmy,
      gostoso também é ver suas observações inteligentes.
      Muitos beijos, sua linda.
      ;)

      Excluir
  7. Parabéns por esse espaço reservado para as obras brasileiras.
    Sempre importante esse incentivo, quanto a poesia o autor ganhou foi o vencedor do concurso e nada mais do que merecido, com apenas essa poesia já fui pego pela escrita dele, agora vou esperar o lançamento dos livros e as resenhas para ver como ele se sai em outros gêneros literários, que seja tão bem ou até melhor.

    ResponderExcluir
  8. Tonny, com certeza o seu livro vai fazer parte da minha estante assim como não quero te perdeu de vista pelo face.

    ResponderExcluir
  9. Olá
    não sou muito fã de poesias, (não sou mesmo) não consigo copreender algumas rsrs, mas adorei o trechinho mostrado, espero que faça bastante sucesso o livro
    Abçs

    ResponderExcluir
  10. Bom dia, queridos. Fico muito lisonjeado com o carinho e incentivo de todos. Agradou-me as diversas interpretações manifestadas por meio da identificação com o poema supracitado. Acredito que agora sim, de sua condição fetal, a essência deste texto, e de outros tantos, ganhará pouco a pouco, (a cada nova leitura/interpretação) um novo significado, uma nova significação, ad eternum. Um forte abraço e muito obrigado!

    ResponderExcluir
  11. Telma!
    Além de ter gostado da métrica como foi escrita o poema, gostei da forma como o autor expõe seus sentimentos mais íntimos e faz sua negação de forma poética.
    Parabéns ao Tonny!
    “Quando defendemos os nossos amigos, justificamos a nossa amizade.”(Marquês de Maricá)
    Cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participe no nosso Top Comentarista!

    ResponderExcluir
  12. Aaahhhh que super, eu gosto muito de poesia mesmo, ainda não tinha ouvido falar do autor, é claro que eu fiquei curiosa para ler o livro dele.
    Beijos *-*

    ResponderExcluir
  13. Não entendo muito de poesia nem tenho o costume de ler, mas esse é muito bom, e com certeza o livro todo deve ser

    ResponderExcluir
:) :( ;) :D :-/ :P :-O X( :7 B-) :-S :(( :)) :| :-B ~X( L-) (:| =D7 @-) :-w 7:P \m/ :-q :-bd

Vai ser muito bom saber o que você achou dessa postagem!
Opine!