23 maio, 2015

Resenha: Reinos de Cinzas



“Bem-vindos a uma realidade fantástica – você está entrando no mundo dos sonhos... ou seria no mundo dos pesadelos? Está prestes a se perder em uma realidade cinza... se contaminar com uma febre que causa insônia. Está se aventurando na estrada perigosa que fica entre a razão e a ilusão. Uma viagem ao interior de algumas mentes assustadas... Ao interior de algumas mentes diabólicas. Aqui é a porta de entrada para um outro mundo... Um mundo onde as verdades não existem... onde tudo é uma mera desculpa para se pintar um quadro com as cores do caos. O primeiro passo para essa viagem já foi dado – Ainda há tempo de desistir! .................................................................................................... Para quem preferiu seguir em frente, as próximas palavras e frases devem indicar uma direção... uma trilha que o levará para lugares estranhos e distantes. Que o levará para o centro de alguns mundos imaginários... repletos de personagens imperfeitos. Repletos de fatos perturbadores. Repletos de encruzilhadas. Repletos de reinos selvagens... de batalhas insanas... de guerras sangrentas... Abra bem seus olhos e descubra o que se esconde em cada uma das páginas destes contos dos Reinos de Cinzas...”



"Para Telma
Algumas palavras nos levam para lugares que muitos caminhos não conseguem nos levar. São estas palavras que eu busco... são estes caminhos que eu tento criar! Sempre!!
Um beijo e boa leitura
Aldo Costas
2015"

*suspiro*

A começar pela dedicatória sensível e a terminar numa explosão de sentimentos arrancados de mim, posso dizer que, o mergulhar nesse livro, foi um banho de sonho, pesadelo e, por fim, lucidez. 

Obrigada, Aldo.

Eu não achei tarefa fácil resenhar esse livro, (Não achei mesmo, sr. Aldo!) mas vou fazer assim mesmo, já que o impossível me fascina. :p

Igualmente difícil foi traduzir algumas partes do livro que gostei demais, para meu maridão (que serviu de suporte de livro, como podem ver na foto acima).


Eu consigo imaginar a dificuldade de Aldo, ao escrever esse livro da maneira como ele projetou (o que eu imagino que foi mutante, também)... porque a escrita, muito embora tenha me lembrado a de diversos escritores, filmes e até música (vou citar mais abaixo), é uma escrita "sui generis", única, singular, invulgar, ímpar... Essa minha redundância é proposital, como é proposital as de alguns trechos do livro (também exemplifico abaixo).

O final do poema "Vindíctam", me fez vislumbrar a ousadia do autor, ao prever seu possível castigo:

                       Que será caçado e executado
                       Será açoitado, violado e decapitado
                       Por uma lâmina assassina
                       Por sorrir para uma doce menina
                       Por olhar nos olhos da Dama prometida
                       Morrer, se essa for a sua sina...

Há castigo maior para um escritor do que ser incompreendido, criticado e elegido como "ilegível"?

Pode mesmo, ser incompreendido pela massa que segue um líder por não ter que arcar com responsabilidade alguma, mas vai encontrar eco nas pessoas que pensam fora da caixa, sabe?

Aldo, por conta dessa ousadia me fez lembrar a música "Bandolins", de Oswaldo Montenegro. (se quiser, dá uma conferida... vale muito a pena).

Ah! sim... O livro é formado de contos e dentro deles, encontramos poemas, prosas, loucura, tormenta, agonia, estranheza... o indizível.

Por vezes, o autor usa e abusa de adjetivos e é dessa redundância que falei acima... e o que em algum contexto, ficaria "over", na loucura dos contos, refletem o "martelar" de uma mente agonizante. (Não temos todos um pouco de TOC?)

Essa tosse seca que me rasga os pulmões não é forte o suficiente para abrandar a densa escuridão deste quarto negro que se fecha sobre mim. Destes pregos que ininterruptamente são martelados em minha mente, esmagando totalmente meu crânio. Esse venenoso engano, essa penitência, esse calabouço úmido que goteja dia e noite irritantemente sobre meus pensamentos, sobre minhas lembranças (...). O silêncio não existem nem por um simples momento. Inútil! Não consigo ouvir nem meus próprios gritos! As vozes sussurram a cada instante: com lamento, com sofrimento. Com lamento, com sofrimento!

Percebe o clima criado?
Não me diga que não!
Eu escutei o martelar (dentro da minha cabeça) de cada palavra enquanto lia...

Na maioria das vezes é difícil saber se estamos acordados ou dentro de um sonho, de um pesadelo; de um mundo que talvez só exista para nós mesmos.



Os contos, todos, trazem reflexões dentro de si... trazem a solidão que sentimos quando olhamos para dentro de nós mesmos e a agonia que isso pode (e deve) causar. É difícil alguém conseguir por em papel tudo isso... ele pôs. Ele, Edgar Allan Poe, George Orwell, Dean Koontz, Neil Gaiman, Stephen King, Natsuo Kirino, Clive Barker e tantos outros.

Um convite a reflexão... Até quando disfarçaremos o egoísmo, justificando que vivemos numa selva de pedras e a lei que impera é a lei do mais forte? E, quem é o mais forte? Talvez a morte.... Talvez a sorte... e talvez... talvez você se importe. 

Para terminar, a fofura da gratidão e do partilhar. O último capítulo é dedicado a todos os escritores contemporâneos. (lindo, isso!)

Se me perguntar o conto que mais gostei, vou responder de maneira diferente, em diferentes momentos do dia, ou do mês.

Nesse momento eu respondo que foi o "Senhor dos Bichos"... (daqui a 5 minutos eu responderei que foi "Lágrimas em Montparnasse").

Enfim... o livro me afagou como um soco no estômago da alma.

Um beijo, surtadinhos meus....




Fanpage do Livro:  CLIQUE AQUI


Blog de Aldo Costas: CLIQUE AQUI




Book Trailer:





22 comentários:

  1. Telma, estou encantado com sua resenha. Você falou de sensibilidade dos textos, do livro, e eu vejo ainda mais sensibilidade, e empatia, em todas as suas palavras. Obrigado pelas lindas palavras. A sua resenha é inspiradora!!!! Eu quis fazer um livro contemporâneo, com caminhos sombrios e trilhas que se perdessem em abismos desconhecidos – e apenas alguns encontrarão isso... Legal, também, que gostou da dedicatória...

    Estou muito feliz por você ter gostado dos contos – é importante que o livro cumpra o seu papel de ser uma boa leitura.

    Sim, é um livro que muitos deverão ler de forma superficial - e assim não descobrindo outros mundos oculto dentro dos contos... perdendo o que as linhas não mostram em um olhada superficial.

    E uma coisa que me deixou impressionado – foi à “comparação” com escritores tão fantásticos (quem sabe um dia eu chegue lá – já tenho um grande incentivo!!!). Obrigado!!! Quanto à última parte do livro - eu gostaria de ter citado muitos outros escritores, mas, só consegui catalogar os que estão no livro, pois, eram os que faziam parte dos grupos literários que eu participava (hoje participo de muitos outros)... Muito obrigado e que venham mais livros!!!! Valeu Telma!!! (PS: Obrigado, também, ao seu marido pela ótima foto!!!).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acredito que vibramos na mesma sintonia, Aldo.
      É muito bom "ouvir" sua voz. :D
      Super abraço!

      Excluir
  2. bom, o próprio autor postou um comentário aí em cima, o que eu vou dizer...sem comentários...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Por essas e outras a gente já vê a qualidade da pessoa, né Sabrina?
      Beijos gatona. :D

      Excluir
  3. A capa é linda. E pelo que li aqui seu conteúdo não fica atrás. Estou precisando de algo assim pra ler. Cheio de intensidade e emoções. Amei saber que são vários contos em um só livro. Sou me envolver em cada um. Espero apreciar como você. Achei demais os comentários que o autor fez. Espero que tenha muito sucesso comestes contos.
    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Temos as mesmas expectativas, Beth: também quero mais contos de Aldo.
      Muitas beijocas
      ;)

      Excluir
  4. soh o que eu tenho a dizer eh PARABÉNS!!! pela sintonia entre vcs. Vc poderia ter escrita a orelha desse livro!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. WOW Sabrina... que elogio mais gostoso!
      Obrigada, sua linda!
      :*

      Excluir
  5. Telma, o livro parece um espetáculo de sensações e sentimentos, em uma expressão máxima em palavras. Amei sua resenha, foi bastante expressiva!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cinthia... feliz que você tenha sensibilidade pra notar...
      Sua opinião é sempre válida pra mim. Válida demais!
      Montes de beijos
      :)

      Excluir
  6. Bem Telma!
    Livros de contos estavam quase extintos e fico bem feliz em vê-los em voga novamente.
    Só hoje li 3 resenhas de contos nacionais diferentes e me trouxe alegria.
    E a vantagem dos contos, na minha opinião, é justamente pode divagar sobre espaços diferentes e nos fazer refletir sobre eles, ainda que utilizado de outros estilos dentro do texto. É simplesmente genial!!

    Desejo uma ótima semana!!
    “O começo é a metade do todo.”(Platão)
    Cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rudy,
      Eu sou apaixonada pelos seus comentários!
      Acho que estou me apaixonando por você! haushuashuahsuhaushau
      Você é linda!
      beijos
      :)

      Excluir
  7. Que capa bonita!
    "Eco nas pessoas que pensam fora da caixa"... gostei muito disso!
    O autor parece ter feito um trabalho incrível. Parabéns e sucesso pra ele!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Kemmy!
      Quero te abraçar porque ouço o eco aí.... sua fora da caixa!!!!! :D
      beijocas

      Excluir
  8. Querida Telma, não conhecia o livro, mas sua resenha foi tão intensa que me despertou o interesse.
    Por vezes pareceu que eu sentia o você sentiu ao ler o livro rsrsrs
    entende né

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Entendo sim, coisa querida!
      beijos grandes em voc~e!
      :)

      Excluir
  9. Oi!
    Adorei a resenha esta linda e me deixou muito interessada no livro !
    Parabéns para o Aldo pelo livro e a Telma pela resenha conseguiu retratar muito bem o que podemos encontrar dentro do livro me deixou com muita vontade de ler !!!
    A capa esta linda !!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. own, Suzana....
      Você é uma linda!
      beijos agradecidos pelo elogio.
      :)

      Excluir
  10. amei a resenha, estou encantada, adoro livros de contos e esse já esta no topo da minha lista de desejados, super curiosa pra ler.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vai gostar, Emanoelle.
      muitos beijos, gata!
      ;)

      Excluir
  11. Caramba Telma, que resenha! =D7
    Acho que foi uma das melhores resenhas que li na vida, estou até sem palavras para descrever o que senti apenas a lendo, imagine quando tiver o prazer de ter esse livro em mãos.
    Livros assim são fundamentais para sairmos da nossa zona de conforto nas leituras, é uma que com certeza nos marca, faz refletir e fica sempre na memória, li o comentário do autor mais acima e junto com a resenha posso dizer que já estou com o livro na lista de compras, preciso sentir toda a carga de emoção que as palavras escritas por ele causam e gostar tanto quanto você.

    ResponderExcluir
  12. Que resenha inspiradora! Fiquei com muita vontade de adquirir o livro, sério mesmo. Adoro toques de terror, fantasia e algo nostálgico! Espero poder adquirir meu livro em breve *-*

    ResponderExcluir
:) :( ;) :D :-/ :P :-O X( :7 B-) :-S :(( :)) :| :-B ~X( L-) (:| =D7 @-) :-w 7:P \m/ :-q :-bd

Vai ser muito bom saber o que você achou dessa postagem!
Opine!