12 dezembro, 2014

Simplesmente Acontece

O que acontece quando duas pessoas que foram feitas uma para outra simplesmente não conseguem ficar juntas? Todo mundo acha que Rosie e Alex nasceram para ser um casal. Todo mundo menos eles mesmos. Grandes amigos desde criança, eles se separaram na adolescência, quando Alex se mudou com sua família para os Estados Unidos. Os dois não conseguiram mais se encontrar, mas, através dos anos, a amizade foi mantida através de emails e cartas. Mesmo sofrendo com a distância, os dois aprenderam a viver um sem o outro. Só que o destino gosta de se divertir, e já mostrou que a história deles não termina assim, de maneira tão simples.





Livro único
Cecilia Ahern
448 páginas
Novo Conceito


Gente, a mensagem desse livro é linda e perfeita! Não acredito que, em todo o ocorrido aqui, foi o destino que conspirou contra os personagens, suas decisões que mudaram o destino deles. Acredito que esteja lendo muitos livros sobre Escolhas, portanto, livros que sempre possuem um conteúdo muito profundo. Este é um deles.

Esse livro já foi lançado anteriormente por outra editora com o nome de “Onde terminam os Arco-íris” e relançado pela Novo Conceito com o título de “Simplesmente Acontece”. Para mim, enquanto o primeiro título mostra analogicamente algo utilizado no texto em suas últimas páginas, o segundo título resume tudo, e ambos os títulos denotam a essência do livro.

Amo a escrita dessa autora e seus livros, e estava com uma alta expectativa a respeito desse, em especial. Vi muitos comentários positivos a respeito dele e infelizmente não tive a mesma visão que muitos, apesar de não ter sido uma leitura ruim.

Tive uma posição antagônica a respeito dele, amei e odiei. Acredito que por não gostar de conversar em chats, por e-mail, e nem “jogar conversa fora” como muitos gostam, ou a maioria das pessoas, a leitura se tornou um tanto enfadonha para mim.

O trabalho da editora ficou muito bom, o cinza utilizado nas entre páginas e no conteúdo com intuito de destacar, estilizou bastante o ambiente virtual, e em contrapartida com as páginas amarelas deu um toque especial. A escrita da autora é de fácil leitura, com um pouco de humor e sarcasmo.

Mas, vou explicar algo para vocês. Por eu não gostar de chats, conversa fiada e cartas longas por e-mail, o livro foi muito maçante para mim. Pensei em desistir de lê-lo, por me fazer pensar estar lendo e-mails e invadindo o espaço pessoal de alguém que não conhecia, e isso me perturbou durante toda a leitura. Esse tipo de escrita em forma de e-mails, recados, cartas, não funciona para mim. É algo pessoal.

Outra dificuldade que tive foi de entender a junção do que diziam antes e depois, pois nem sempre um e-mail diz respeito ao posterior, ou o assunto continua de forma a exaurir e/ou dá uma visão profunda do que o personagem sente, ou pensa. Não há diálogos!

Rosie e Alex passam a errar continuamente durante o livro todo, e juntando as coisas acima, foi me enfadando por completo. Em dado momento passei a perguntar, “poxa, são lesados? Não aprendem nunca?” E quando ela aprendeu e se descobriu, e aos seus sentimentos, a mesquinhez do Alex continuou, ora devido a busca de uma posição social, ora para manter a aparência, e ora por falta de sinceridade consigo e com a Rosie. E, quando tudo ocorre, para mim passou da hora/do tempo, fiquei insatisfeita. Isso me matou de raiva!

Mas, então odiei o livro? Não! Amei o livro.

O problema é esse, a história suscita no leitor tantas questões corriqueiras vividas por todos - e que em vários momentos muitos caem e continuam no erro - que deixa qualquer um irado, mas em momento nenhum deixa que a veracidade dos acontecimentos se tornarem obsoletos. Assim, na história mostra que há como sair desse ciclo e correr atrás daquilo que se deseja, não importando o tempo que já passou, mesmo correndo o risco de não ser aceito, ou de não aceitar. Mas, mostra que pode superar o erro e fazer algo bom.

É um livro que te faz sorrir, ter raiva, torcer por Rosie e Alex, desesperar e refletir, e mesmo assim, se deliciar com o alto teor de bom humor e leveza.

Se você não for como eu – gosta de chats, conversas pela web, e-mails – vai lê-lo em poucas horas e amar cada parte desse romance.


A nossa vida é feita de tempo. Nossos dias são mensurados pelas horas, nosso salário é mensurado por essas horas, o nosso conhecimento é mensurado pelos anos. Agarramos uns minutinhos do nosso dia sempre ocupado para fazer uma pausa pro café. Voltamos correndo pra nossa mesa de trabalho, olhamos pro relógio, vivemos em função dos compromissos. Mesmo assim, quando esse tempo enfim acaba, bem lá no fundo você se pergunta se esses segundos, minutos, horas, dias, semanas, meses, anos e décadas foram gastos da melhor maneira possível.





4 comentários:

  1. Preciso parar de resistir aos livros de romance e dar mais chances a eles rsrs Esse me pareceu legal, por isso vou atrás de ler!

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Acho que ficaria um pouco irada ao ler esse livro também. Detesto histórias que não desatam e que parece que nada de bom acontece.
    Gosto daqueles livros que você lê numa taca só, sem tomar fôlego.
    E não sei mais se acredito nesse destino, que une duas pessoas predestinadas. To numa fase meio antiromance.
    Mas parece ser um livro bonitinho, para quem gosta desse estilo "Felizes para sempre".

    ResponderExcluir
  4. Oi, Cinthia! Tudo bem?

    Eu comprei este livro e quero muito ler, piis gosto muito da escritora e, acredito que vou gostar, como também gosto dos demais livros da escritora! :)

    Adorei sua resenha! Linda demais!

    Beijos!
    http://irmaoslivreiros.blogspot.com.br/ (Conheça meu blog)

    ResponderExcluir
:) :( ;) :D :-/ :P :-O X( :7 B-) :-S :(( :)) :| :-B ~X( L-) (:| =D7 @-) :-w 7:P \m/ :-q :-bd

Vai ser muito bom saber o que você achou dessa postagem!
Opine!