15 setembro, 2012

A Trégua - Mario Benedetti

Amor - umA TRÉGUA na vida!



É bem difícil escrever sobre a Trégua! Dá um medo danado de não passar toda a poesia, toda a profundidade e genialidade com que Mario Benedetti faz com que nos identifiquemos com a simplicidade do cotidiano.

A leitura é totalmente voltada para adultos. Não é um livro difícil de ler mas está bem longe do que vemos comercialmente hoje em dia.
Santomé, personagem central da “Trégua” é viúvo há mais de vinte anos, está perto dos 50 anos, perto da aposentadoria, perto da solidão e longe da felicidade.

A guerra do cotidiano,  ganha mais uma batalha toda vez que ele olha para a rotina maçante que é sua vida.

Essa rotina é modificada quando entra em sua vida, Laura Avellaneda, uma das jovens que trabalham no escritório.

A sinceridade madura e a ironia inteligente de Santomé nos faz refletir e à mim, chegar a conclusão de que a paixão/amor é movimento da vida. É o que nos impulsiona viver, tanto aos 8 quanto aos 80 anos.

A paixão/amor por qualquer coisa (pessoas, música, livros, filmes,  dança, animais,  etc) é a TRÉGUA que temos quando a vida parece estar em 50 tons de cinza (hehehehe).  É a cor que nos faz olhar admirados pra dentro de nós mesmos ao nos depararmos com centelhas de felicidade.

Lindo, profundo, poético, sincero...  Assim é Mario Benedetti e “A Trégua”

*suspiro* (foi para meus "favoritos")

Dois trechos que gostei, dentre a infinidade de "belezura"...rs*

"ela me dava a mão e eu não precisava de mais nada.
Bastava isso para que eu me sentisse bem acolhido. Mais do que beijá-la, mais do que nos deitarmos juntos, mais do que qualquer outra coisa, ela me dava a mão e isso era amor."


.¸¸.*♡*.¸¸.*☆*¸.*♡*.¸¸.*☆*.¸¸.*♡*.¸¸.*☆* .¸¸.*♡*.¸¸.*☆*¸.*♡*.¸¸.*☆*.¸¸.*♡*.¸¸.*☆* .¸¸.*♡*.¸¸.

" ... também olhei como chovia, e por alguns minutos não dissemos nada. De repente, tive consciência de que aquele momento, aquela fatia de cotidianidade, er ao grau máximo de bem-estar, era a Ventura. Eu nunca havia sido tão plenamente feliz como naquele momento, mas tinha a aguda sensação de que nunca mais voltaria a sê-lo, pelo menos naquele grau, com aquela intensidade."



25 comentários:

  1. Eu li esse livro quando estava estudando em 2010. Confesso que peguei pela capa,mas ele é muito bom mesmo. Complicado escrevermos sobre livros feito por grandes pessoas,parece que não consefguimos passar toda a emoção do livro.
    Mas gostei do que escreveu sobre ele. Bom achar pessoas que saem daqueles livros modinhas e percebem que existe livros muito bons por ae que não são reconhecidos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E é bom, ter no blog, pessoas com você, que também curtem uma leitura diferenciada.
      Nada contra os livros comerciais... eu os leio. Só não fecho meu leque.
      Super abraço.
      :)

      Excluir
  2. Oi, lindo seu blog! ^^
    Estou seguindo!!

    Não conhecia o livro, mas parece interessante...

    Beijos

    Gih
    http://kastmaker.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gih,
      obrigada pelo elogio e espero vê-la, mais vezes por aqui.
      Faça desse, o seu cantinho também!
      :)

      Excluir
  3. Que capa linda '-'
    Fiquei curiosa para conhecer a história, sua resenha foi bem autêntica. Gostei :)

    Beijos e Sucesso com o blog.
    http://secretsentreamigas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. eu agradeço muito Bárbara!
      Bom ter você aqui conosco.
      beijos grandes
      :)

      Excluir
  4. esta um charme o blog parabens!gostei bastante...
    adorei a resenha achei a historia bm itensa e parece ser um livro que prende bm o leitor.gosto de historia assim.
    bjos =]

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. oba!!!!
      Feliz que tenha gostado Carliane!
      beijo carinhoso.

      Excluir
  5. só pela capa da bateu aquela curiosidade...
    Parece muito bom mesmo!!!!!

    Bjaooo
    ate mais!!!

    ResponderExcluir
  6. Pela sua resenha fiquei curiosa em ler!

    Bjo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ah Lane!
      Acho que você iria se apaixonar...
      beijoconas

      Excluir
  7. Parabéns pela resenha! Fiquei curiosa para saber o desenvolver deste livro! Ele me parece ser um livro meio difícil de largar rs'
    Vou procurar por ele!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Paam,
      ele é um livro rico, poético, intenso...
      beijos

      Excluir
  8. Parabéns pela resenha! Bem interessante esse livro :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Elen!
      Esse livro, que para mim, foi mágico!
      beijos

      Excluir
  9. "ela me dava a mão e eu não precisava de mais nada.
    Bastava isso para que eu me sentisse bem acolhido. Mais do que beijá-la, mais do que nos deitarmos juntos, mais do que qualquer outra coisa, ela me dava a mão e isso era amor."

    Nossa, pelos trechos dá p'ra ver que é um bom livro. Muito interessante! Estou super anciosa para ler!

    Bjokas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A gente suspira com a inteligência do autor.
      Ele faz do simples, do cotidiano a gradeza da vida.
      muitos beijos, linda!
      :)

      Excluir
  10. Bela resenha, esse livro deve ser muito bom. Gostei muito.

    ResponderExcluir
  11. Nossa, o livro parece ser apaixonante, pois já me interessei só em ler a resenha!

    ResponderExcluir
  12. Puxa, Telma, que resenha caprichada e gostosa de ler!
    Gosto de livros exatamente assim: adultos, profundos, que me peçam para parar a leitura e colocar o livro sobre o peito... para sentir o ritmo que o autor quer dar à sua história. Para suspirar, sofrer e rir com ele. Para me envolver com seus sentimentos.
    Foi isso que percebi da sua resenha.
    Preciso lr esse escritor uruguaio. Preciso mesmo. Já para minha estante de desejados do Skoob!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ahhhh, Manu!!!
      Que delícia ler que você gostou da resenha. Sabe quando você vai falr de algo extraordinário e não encontra as palavras?
      É exatamente o que você disse: "colocar o livro sobre o peito". Fiz isso várias vezes.
      Quero mais de Benedetti! :)
      beijos, sua linda!

      Excluir
  13. Telma cracuda, irei comentar novamente, espero que apareça aqui,rs.

    Adorei tua resenha, é sensível com a escrita do Benedetti.

    Este livro entrou fácil para os meus favoritos.

    Dentre as muitas facetas dos livro, uma que me pegou, foi o Martin não se lembrar mto bem da aparência da mulher morta, mas ter no tato a memória afetiva de seu corpo, isso é mto doido, mãos fazendo papel de olhos.

    Hug :D

    ResponderExcluir
:) :( ;) :D :-/ :P :-O X( :7 B-) :-S :(( :)) :| :-B ~X( L-) (:| =D7 @-) :-w 7:P \m/ :-q :-bd

Vai ser muito bom saber o que você achou dessa postagem!
Opine!